Busca

Dr. Vladislav Lugovenko:
A Respiração da Terra

Esta página é uma reformatação da versão original publicad no Projeto Camelot.


Dr Vladislav Lugovenko passou muitos anos pesquisando geomagnetismo e descreveu em detalhes um novo e fascinante princípio que ele denomina A Respiração da Terra. Este, por sua vez o levou a explorar biomagnetismo e os campos bioelétricos de mamíferos e peixes, a aura humana e, finalmente, as Crianças Índigo.

O livro dele mais recente, As Crianças Índigo da Rússia, ainda não está disponível em Inglês. O Project Camelot pretende ajudá-lo a encontrar uma editora americana. Se alguém está em uma posição para traduzir este livro a partir do original russo, entre em contato conosco.

Dr. Lugovenko conheceu Boriska pessoalmente há vários anos, e em nossas conversas com ele contou várias estórias em que as capacidades psíquicas de Boriska pareceram proeminente.

O seguinte artigo foi publicado primeiro por Carol Hiltner, aqui:


A Respiração da Terra
Dr. Vladislav Lugovenko

Por Carol Hiltner

Se, a tradição mística nos diz, a Terra é um sistema vivo, como ela poderia estar fazendo esse processo mais fundamental da vida conhecida como a respiração? A prova da respiração da Terra não poderia ser captada como oscilações no fluxo de energias sutis através e entre a Terra e o Cosmos?

Este foi o pensamento do astrofísico russo Vladisvlav Lugoveko. E no curso de uma vida de pesquisa, ele desenvolveu experimentos que detectam e medem apenas uma oscilação neste fluxo. Além disso, seus experimentos foram replicados.

Durante a última década, os dados experimentais de Lugovenko revelaram não só que a Terra respira - com semelhanças notáveis com os padrões de respiração dos seres humanos - mas que a respiração dela é afetada de forma dinâmica, não só pelos acontecimentos no Cosmos, mas também pelo pensamento humano.

O que é a "Respiração" da Terra?

Primeiro de tudo, Lugovenko descobriu que existe um ritmo diário. A respiração é tranquila durante a noite. Então, quando a Terra gira em direção ao nascer do sol, o padrão particular e a amplitude desse dia se move como uma onda em torno da Terra, variando progressivamente de acordo com outras influências, como manchas solares, perturbações meteorológicas, terremotos e atividade humana.

Há flutuações sazonais. Por exemplo, a respiração da Terra é mais calma no inverno. E parece haver ciclos de respiração mais longos - os períodos dos anos - que parecem ser afectados por corpos celestes como cometas.

O gráfico seguinte mostra a variação na respiração da Terra durante o período entre 1997 e 2002.

Earth Breathing 1997-2002


Lugovenko define a respiração da Terra como "as variações temporárias de um campo de cosmo-terrestre", e refere-se tanto ao "global" quanto a "respirar" local:
A respiração "global" consiste de todos os métodos possíveis de energia de recebimento, processamento e obtenção a partir do espaço exterior através de um sistema complexo de redes e chakras de diferentes calibres. A respiração "local" é uma mudança mensurável da largura das zonas de Hartmann regular ou das grades de Curry [1].

O conceito de energia de um espaço universal que as pessoas podem usar para perceber fenômenos supersensoriais tem raízes profundas nas culturas de todos os povos. Os textos sagrados indianos e budistas descrevem esta mesma energia espacial antiga e o chamam com a sílaba mística "Om". Esta sílaba provoca uma oscilação no cérebro que permite que os vários chakras aceitarem a energia do espaço.

Chamamos a interação dessa energia com a Terra um "campo cosmo-terrestre", que é definido como a substância pela qual a interação do biopoder entre o espaço e a Terra ocorre. O campo cosmo-terrestre é um fenômeno na fronteira entre o tênue (não manifesto) mundo e o mundo (manifesto) material.

O campo cosmo-terrestre tem muitas propriedades interessantes, incluindo o movimento redemoinho, ressonância e distribuição, praticamente, instantânea através de grandes distâncias (pelo menos dentro dos limites do sistema solar).

Esta energia pode ser percebida por pessoas altamente sensíveis e por equipamentos especialmente criado. Cada contribuinte dá a sua própria determinação das qualidades do campo que ele pesquisas.

Como é medida?

Porque esta medição é um novo empreendimento para a ciência ocidental, e porque as definições e unidades de medida ainda estão sendo elaborados, cada um dos investigadores criaram seus próprios meios para medir essa energia.

Lugovenko utiliza dois meios primários. A primeira é através de um par de sensores - um de cobre (colocada sobre um vórtice positivo) e uma pedra de nefrite (colocada sobre um vórtice negativo ou escuro). Cada um destes sensores é suspensa por fios sobre um gráfico radial e ambos se movem em direções opostas - ou seja, um vai no sentido horário e o outro anti-horário.

Em intervalos determinados pela rapidez com que a direção e a amplitude estão mudando, Lugovenko observa e registra o tempo e a posição dos sensores, em seu livro do laboratório.

O segundo meio de medida de Lugovenko é o uso das hastes de radiestesia e um pêndulo, ele tem verificado a precisão, através dos anos, ao comparar seus resultados com radiestesia e os relatórios de instrumentos eletrônicos. Ele usa varas de cobre em radiestesia para localizar os vórtices de energia positiva e negativa.

Quando visitei a casa de Lugovenko fora de Moscou, ele demonstrou sua técnica para mim. Primeiro, ele estabeleceu a intenção dele, então começou a a andar pela sala segurando as varinhas de radiestesia, de tal forma que elas apontavam para frente dele.

Cerca de um metro e meio de onde ele tinha a sua instrumentação, as varas abruptamente se separaram de tal forma que elas apontavam uma para cada lado.

Então, ele me deu as varinhas e fui capaz de obter os mesmos resultados.

Lugovenko também se comunica com outros observadores ao redor do mundo, o que lhe permite comparar e validar resultados dele globalmente.

Perguntei-lhe porquê, como um cientista sênior em um instituto de investigação de prestígio, ele estava realizando esses experimentos em sua casa. Com um sorriso torto, ele respondeu (através de um tradutor), "Costumávamos ter os instrumentos mais avançados, mas com a Perestroika, os orçamentos foram reduzidos e esta linha de investigação foi cortada. Então, eu continuo em casa, porque é importante ".

Variações na respiração da Terra

Depois de traçar as características gerais da respiração da Terra, Lugovenko começou a examinar as variações e anomalias. O o texto recuado abaixo foi extraído de dois dos artigos dele traduzidos: [2]

1. Atividade Solar:

A atividade máxima da respiração da Terra ocorre quando existe um mínimo de atividade solar.

2. O cometa Hale-Bopp:

Apenas a primeira inalação da Terra após a sua noite de sono é muito interessante. Ele dá o tom de intensidade durante o dia inteiro e, essencialmente, depende de quão próximo o período atual está do dia mais longo do ano (22 de junho no Hemisfério Norte). Quanto mais próximo da data, 22 de junho, mais poderosa é a primeira inalação da manhã do planeta. Desde 1992, esse efeito tornou-se mais forte a cada ano - até 1997.

Antes do aparecimento do cometa Hale-Bopp, o período normal de respiração da Terra para latitudes média era de 30 a 40 minutos. Até ao final de março de 1997, tinha diminuído para cerca de um minuto! O valor era tão pequeno que se tornou difícil de se medir. Durante quase um ano inteiro, a Terra respirava com muita freqüência.

As pessoas sentiam isso. Nos dias mais intensos (no final de março e início de abril, quando o cometa Hale-Bopp estava especialmente perto da Terra e do Sol), houve muitos pedidos de primeiros socorros, e muitos reclamaram da má saúde.

3. Os feriados religiosos e da oração:

Prabakar Poddar, diretor do Instituto de Aplicação de Geofísica na Índia, relata repetidamente que as leituras do campo cosmo-errestre de máximas positivas, perto de Madras, ocorreram em feriados religiosos.

Nota: Lugovenko encontrou mudanças surpreendentes no campo cosmo-terrestre como resultado da meditação Mundial pela Paz em Bagdá, em outubro de 2002 (veja a barra lateral, logo abaixo).

Quas são as implicações?

Lugovenko oferece documentação científica clara de que a Terra "respira", e que sua respiração é reage à estímulos - sendo esta uma das definições do que constitui a vida.

Ainda mais significativamente, ele mostrou que a respiração da Terra responde à intenção humana; que a humanidade, através dos nossos pensamentos e orações, radicalmente impacta a Terra.


Como a Energia Humana Afeta a Respiração da Terra

O seguinte texto (não necessariamente os subtítulos) é retirada de um artigo publicado por V. N. Lugovenko, M. I. Orlyuk e N. A. Yudina (ver footnote). Ao demonstrar como a atividade humana afeta a respiração da Terra, pelos exemplos que eles descreve, temos ainda mais evidência do efeito positivo da meditação global e da oração.

Investigação  na Conferência Mundial pela Paz e Tempo, 22-27 de junho de 1999

esquisadores fez uma série de experiências e investigações dos biocampos e dos campos cosmo-terrestre na Costa Rica.

De 22 a 28 de junho de 1999, em San José, nós gravamos as variações temporais do campo cosmo-terrestre por meio de sensores do tipo de torção. Nós gravamos o ângulo de torção de cada sensor. Um deles, feito da nefrite pedra, foi colocado em uma zona escura da seção transversal de Hartmann. O segundo, um sensor de cobre, foi colocado na zona de luz da seção transversal.

Durante os primeiros três dias da Conferência, 22 a 24 de junho, as variações temporais do campo cosmo-terrestre eram normais e o coeficiente K foi 1-2. Mas depois de 24 de junho, a situação mudou consideravelmente. A razão K às 6:25 da manhã ultrapassou a normal por mais de 100 por cento (de 10 a 24). Isso comprova o mesmo tipo de aumento considerável do contato bioenergético Cosmos/Terra que, normalmente, é claramente visível durante os feriados religiosos.

Acreditamos que o Dr. Ashok, diretor do Istituto de Diálogo Global, foi correto ao dizer, "O trabalho das Comissões de WSPT gradualmente chega ao ponto em que o diálogo Cosmos/Terra...  se torna mais profundo e mais profundo."

Curiosamente, a informação sobre isto foi retirada depois de dois anos.

Investigação na Meditação para a Paz Mundial em Bagdá, outubro de 2002

No início de outubro de 2002, aprendemos que uma meditação pela paz no mundo seria executado às 21:00, horário de Moscou em 12 de outubro: uma vigília pela paz verdadeira e permanente em todo o mundo. Esta meditação foi iniciada por James Twyman em conexão com os acontecimentos no Iraque.

Nossa hipótese é que a respiração da Terra variaria de alguma maneira sob a influência desta meditação de tantas milhares de pessoas. A expectativa de que haveria um fluxo de alta potência de vibrações em todo o mundo, medimos as variações da respiração da Terra. E esse fluxo realmente aconteceu!

A respiração da Terra foi medido, perto de Moscou, usano sensores especial do tipo torção em dois pontos diferentes em uma sala. Simultaneamente, o fluxo da respiração da Terra ao longo de Bagdá foi medido pelo experimentor usando um pêndulo sobre um mapa do Iraque.

As 20:45, horário de Moscou, o sensor de cobre começou a rodar sem problemas e para trás com uma amplitude de 7 a 8 graus. O sensor continuou balançando continuamente, até às 22:30, quando o experimentador parou a gravação a noite.

Copper Sensor over Baghdad


ntes de 21:00, o pêndulo sobre Bagdá, indicou a energia negativa sobre a cidade. Ás 21:00, indicou zero [estava parado]. Em seguida, 15 minutos depois, a energia mudou abruptamente para uma indicação positiva grande. Ainda estava mostrando o sinal positivo, quando foi medido na manhã seguinte, às 8 horas.

Pendulum over Baghdad

Uma Meditação Semelhante em 9 de fevereiro de 2003

A semelhante meditação coletiva com mais participantes foi feita em 9 de fevereiro de 2003, às 20:00, horário de Moscou. Aproximadamente o mesmo efeito foi observado mais uma vez. O sensor de cobre apresentou uma amplitude de 10 graus dentro de uma hora após o início da meditação, mas depois as medições pararam (N. A. Yudina realizou observações em Troitsk, perto de Moscou).

Dr. M. I. Orlyuk fez observações em Kiev, na Ucrânia, ao mesmo tempo, com a ajuda de um sensor de pedra. Com esse sensor, ele observou as rotações de 80 graus às 20:50.

Outro pesquisador, o cientista Richard Benishal, estava tomando leituras ao mesmo tempo em um Biômetro, um dispositivo que mede a vitalidade ou força de vida de uma pessoa ou lugar em unidades angstrom. As angstroms são unidades de luz que todos os seres vivos e lugares físicos emitem. Se existe mal-estar ou baixa energia, os registros biômetros dão uma leitura baixa, como o oposto de alta energia. Benishal disse que uma leitura neutra, normalmente, seria em torno de 6.500 angstrons, mas que ele tem visto leituras tão elevadas como 7.000; após meditações poderosas terem ocorrido em uma área. No entanto, a leitura para a área no foco da vigília foi entre 9.000 e 9.500. Richard disse que nunca tinha visto tal leitura alta antes.

Estes exemplos mostram que meditações coletivas provocam mudanças muito fortes do biopoder no espaço ambiente. Essas mudanças são sentidas por todas as pessoas que têm sensibilidade aumentada. Quanto mais perto a pessoa está da fonte de tais variações, mais fortemente essas variações são sentidas. Se todas as pessoas meditando dirigir os seus pensamentos para um único lugar, é aí onde se sente o máximo.

Nossa experiência medindo a influência de meditações coletivas em sensores de torção mostra que, com grande número de pessoas ao mesmo tempo meditando, fortes vibrações surgem no campo cosmo-terrestre, que, visivelmente, influência a respiração da Terra. As variações também podem ser registrados com esses sensores.

Algumas Conclusões

Estas experiências notáveis demonstram que um grande número de pessoas meditando dão origem a esse vórtice de energia de alta no campo cosmo-terrestre que é registrado com bastante confiança, com a ajuda de instrumentos especiais. Assim, os efeitos de um grande grupo meditando pode ser quantitativamente gravado com alta objetividade.

Este facto irá incentivar, não só as pessoas espirituais, a se juntarem nessas meditações, mas também qualquer outra pessoa que sinceramente deseja a paz e felicidade na Terra.

Marina Komissarova escreve: "A melhor maneira de transformar um ateu em um paroquiano zeloso é fazer com que essa pessoa estude os fundamentos da física moderna" [3].

Vladislav Lugovenko tem sido, nos últimos 25 anos o diretor de um laboratório que estuda os campos magnéticos anômalos, no Instituto de Magnetismo Terrestre e Ionosfera e Propagação de Ondas na comunidade científica de Troitsk, fora de Moscou

Na década passada, ele investigou campos cosmo-terrestres e a respiração da Terra, publicando mais de 30 artigos. Você pode contatá-lo por e-mail (em russo - nenhum inglês, por favor) em lugovenko34@yandex.ru


Índices:

  1. Grades Curry e Hartmann são grades eletromagnéticas na Terra. A grade de Hartmann é aproximadamente 20 centímetros por 2 metros, e corre de norte-a-sul e leste-a-oeste. A gride de Curry corre diagonalmente a gride de Hartmann, com cerca de três metros entre as linhas. Onde as duas grides se interceptam, há evidência de um distúrbio negativo muito forte. Ambas as grides podem ser distorcidas por linhas de falhas geológicas, água subterrânea e mineração.
  2. "Pesquisa das VariaçõesTemporárias do Campo Cosmo-Terrestre," 1991-1999, por V.N. Lugovenko, Academia de Ciências Russa, Moscow; e "O Efeito da Metidação na 'Respiração da Terra'" por V.N. Lugovenko, M.I. Orlyuk, e N.A. Yudina.
  3. Komissarova M., "The Power of Thought" (O Poder do Pensamento), Jornal da Pessoa Egoísta, No. 12(18), Dezembro/Janeiro 2002/2003.




Suporte o Projeto Avalon - faça uma doação:

Donate

Obrigado por sua ajuda.
Sua generosidade nos permite continuar nosso trabalho.

Bill Ryan

bill@projectavalon.net


unique visits

Google+