Busca



David Icke

RAÇA HUMANA,

NÃO FIQUE DE JOELHOS



19 de maio de 2010


Bill Ryan (BR): Sou Bill Ryan do Projeto Avalon, e a data é... e direi isso de novo, dexei-me começar mais uma vez. Te direi o que você pode fazer, na verdade, você pode fazer uma dessas coisas como bater palmas...

David Icke (DI): Sim, com certeza. Bom, uma palma e meia é o que eu possa bater. [Ri]

BR: Este é o som de uma e meia mão batendo palmas. [Ri]

DI: Sim, é... [Bate palmas duas vezes]

BR: Muito bom, ok... Muito bom. É.

DI: Eu tenho o mais silencioso bater de palmas, eu, tenho que fazê-lo as vezes assim. [bate com a parte inferior das palmas das mãos]

BR: [Ri] Você me lembrou. Um dia desses, aqueles idiotas no YouTube perceberão o fato de que você tem artrite e, portanto, você não pode dar um bom aperto de mão, você sabe. [Ri] Nós devemos fazer uma demonstração nesse vídeo...

DI: É, isso é um...

BR: ...da Aparência, sabes, estamos fazendo o nosso melhor...

DI: Esse é um aperto de mão maçônico, senhoras e senhores... [Ri]

BR: ...estamos tentando da melhor forma possível dar um aperto de mão...  

DI: ...é um aperto de mão  entre, ah, maçons que têm artrite reumatóide nas mãos, você sabe, é um, é uma tradição antiga...

BR: ...Aaah...

DI: ...voltando aos tempos da Babilônia. [Ambos riem]

BR: Então, sou Bill Ryan do Projeto Avalon e a data é 19 de maio de 2010. E até agora eu não consigo acreditar que já é 2010. Você sabe, David, às vezes, você deve olhar para trás e você pensa "Meu Deus, estavamos no início de 1990 a última vez que olhei. O tempo está acelerando." Você pensa assim às vezes?

DI: Eu acho isso o tempo todo, Bill. Quando tive meu despertar, em 1990, e comecei a encontrar psíquicos após psíquicos que estavam apenas me confirmando basicamente a mesma informação, uma das primeiras coisas com que me deparei, foi algo que chamei as Vibrações da Verdade. Na verdade, o primeiro livro que eu escrevi sobre estes temas foi chamado Vibrações da Verdade por causa disso.

E foi - meu Deus não havia sinal disso na época, para dizer o mínimo - houve uma mudança vibracional no processo disso se manifestar e isso ia: a) acabar com a densidade que mantinha as pessoas em servidão, em coma coletivo, se você preferir, e as pessoas acordarão e verão a si e o mundo de uma maneira diferente, a outra coisa é que isso ia trazer à tona tudo o que se manteve oculto.

E, novamente, como sabemos: 1990, você está brincando? Nenhum sinal disso. Mas, olhe para agora, é inacreditável o número de pessoas que estão acordando por todo o mundo para uma nova versão de si e do mundo. E, meu Deus, quanta informação atingiu a superfície que não existia a 20 anos atrás? Quantas? Não, a dez anos, cinco anos atrás, é uma curva exponencial.

Um dos aspectos interessantes disso que, mais uma vez, peguei naqueles primeiros dias, foi uma... Uma sentença de um vidente para mim, que dizia:  eventualmente, o tempo passará tão rápido, que será assustador. Porque o tempo e o espaço - para mim, pelo menos - não são reais, bom, sabemos isso, eles são uma construção.

Se você pegar um disco de computador e ele tem informações nele, está programado com certos dados e o pões no computador. Esse computador lerá os dados e ele pegará isso, se você me permite, no nível digital, no nível da informação, e o colocará na tela como, aparentemente, tempo e espaço. E fazemos isso, o lado esquerdo do cérebro está coletando informações e as está sequenciando.

E, quanto mais rápido ele faz com que a sequência aconteça, mais o tempo parece passar mais rápido e vice-versa no outro lado. E é o mesmo com as pessoas; Einstein disse: se você se sentar na sala de espera do dentista, então essa sequência não é muito rápida -
[murmurando] Ah, meu Deus...  droga...  vamos... hummm. E então você tem, acho que na analogia dele, você está na companhia de uma bela mulher e "ssshhhuuumm" [apontando para a frente], a sequência é bem rápida.

E o que parece estar acontecendo é que essa mudança energética, quando mudamos de uma época de repressão para uma época de expansão, de esclarecimento e conscientização, é que isso está tendo o efeito na forma como decodificamos a realidade, o modo como deciframos a sequência, parece ser, fundamentalmente, afetado.

E eu disse em um artigo no outro dia, abril já passou? Tivemos março? Se sim, por que eu o perdi? Porque é assim que me parece, isso é apenas extraordinário, o modo como o Natal... O que, hã ... Quando foi o Natal? Quero dizer, há dois anos? Quer dizer, é simplesmente fantástico o que está acontecendo.


BR: Este despertar a que você se refere, você viu isso em frente aos seus olhos na Academia Brixton, poucos dias atrás, quando você fez a grande apresentação do novo lançamento, após a publicação, do seu novo livro. E, claro, é por isso que esta entrevista está programada da maneira que está, porque - deixe-me falar com o público aqui: David tem uma quantidade substancial de novas informações importantes e, em Brixton, que foi a primeira vez que você fez oito ou foi nove horas? Nós estamos falando de quanto tempo...

DI: Oito horas completas de palestra, é.

BR: Essa foi uma apresentação muito longa e você me disse, outro dia, que você estava espantado com a resposta que você teve das pessoas, enquanto que a 15 anos atrás, você estava palestrando para cadeiras vazias. As coisas mudaram, não é?

DI: Ah, é extraordinário. Eu... Eu... Você sabe, quando eu comecei, há 20 anos, apesar de, você sabe, não apenas o ridículo, o ridículo em massa, mas, quando eu comecei a sair por aí falando coisas - é claro, eu sabia muito menos do que sei agora, como nós todos sabíamos - mas, era como bater a cabeça contra a parede, você sabe. Arrumaria as cadeiras, ninguém vinha e, basicamente, eu falaria para cadeiras vazias e poucas pessoas, depois, eu empilharia as cadeiras e ia para casa. E era assim, assim era a noite.

E você pensaria: não tem jeito, isto não vai a lugar nenhum. Mas, você sabe, como todos sabemos, algo te levas a diante. Algo profundo te levas adiante: "Continue, continue". E pensas: Ah, por que razão? - "Continue".

E, nos últimos, particularmente, dez anos, quer dizer, talvez eu comecei a agradar, na verdade, a cerca de 15, então, dez e depois cinco, porque a curva vai assim
[movimento ascendente], é apenas extraordinário, amigo, eu quero dizer em todo o mundo, não importa qual a cultura que você vá - é claro, alguns são mais reprimidos e, portanto, de mente mais fechada do que outros, mas - em todo o mundo, é extraordinário, você sabe.

O que eu peguei, em 1990, destas Vibrações da Verdade, esse despertar, este... a forma como esta mudança energética acabaria com a densidade que nos mantinha na servidão e na ignorância - isso está acontecendo.

E, você sabe, você passa pelos anos e você pensa, sabes, isso é tudo desgraça e tristeza e coisas assim e, quando você vê a forma como a sociedade vai, se você assistir ao noticiário da televisão e ler os jornais você pensaria que este comunismo fascista orwelliana global - é a mesma coisa com nome diferente - uma ditadura, este estado orwelliano global, basicamente, estava garantido, pois está se movendo muito, muito rapidamente, mas...

E, se você está apenas no nível dos cinco sentidos disso e você só vê, você sabe, o que a mente consciente pode ver e perceber, então, eu posso entender perfeitamente por quê as pessoas assumem isso, eu entendo completamente por quê hão muitos, você sabe, pesquisadores no nível dos cinco sentidos da conspiração que apenas vão...
[movimento de arrancar os cabelos] "Não há nada que possamos fazer!"

Mas há, porque este é... Este mundo não é como nós pensamos que é. Hão outras forças em ação. Essa, assim chamada, realidade física sólida não é física nem sólida, é fluida. Não parece ser assim, mas é. E, porque tem essa fluidez, por trás da aparente rigidez e solidez e imobilidade, isso significa que esse nível de realidade pode mudar muito, muito rápido.


Veja, quando as pessoas percebem isso - eu entendo completamente isso, porque a mente consciente está totalmente nos dando este enfoque da realidade...  quando pensamos que o mundo físico tem de mudar ao mudarmos as coisas físicas, então, você está olhando para escalas de tempo de mudanças que são muito grandes - como percebemos o tempo, seja como for - porque é assim que é no chamado mundo sólido.

Mas, quando você percebe que esse mundo chamado de sólido é, realmente, apenas uma projeção holográfica e a verdadeira base deste universo é a informação vibrando em forma de onda, então, a velocidade com que o mundo pode mudar, de repente, toma proporções muito diferentes. Por exemplo,  se você tiver uma tela de computador e você teve que mudar essa tela de computador ou o que estava nela, fisicamente, quero dizer: por onde começarias? Mas, essa tela de computador é uma projeção das informações num disco. "Ok, então eu quero mudar isso, certo, tiro o programa, reprogramo, pressiono enter, novo tema" - Uaaaau! mundo diferente.

E o que está acontecendo agora, como parte de toda esta transformação das Vibrações da Verdade, é que a construção da informação deste universo está mudando - quando o faz, é um ciclo e, portanto, os antigos falaram sobre a natureza circular do tempo. E isso, isso para mim, Bill - eu só posso falar, você sabe, quando eu falo assim, de onde eu venho e o que eu pesquisei, as pessoas têm que tirar às próprias conclusões, claro, isso é certo - mas, os antigos falaram sobre a natureza circular do tempo e é assim. É como um jogo cósmico.

E passamos por épocas diferentes - o que a cultura indiana chama de Yugas e outras pessoas ao redor do mundo têm nomes diferentes para elas - onde esse ciclo passa por momentos de grande expansão, o que os antigos chamavam a Idade de Ouro. E isso passa por períodos de supressão, quando as coisas não são assim e existem grandes desafios, é aí que os sistemas de controle começam e assim por diante, depois hão outros tempos que levam de volta para onde começamos e toda a sequência se inicia novamente.

É um jogo de computador interativo - da forma mais simples possível - em que estamos pegando informações do jogo, como o computador pega a informação no disco e a coloca na tela, mas, também estamos com a Internet, dando nossa contribuição única neste jogo. Então é um jogo interativo - damos e recebemos dele.

E parece muito certo para mim, remontando às Vibrações da Verdade entrando em minha vida há 20 anos, que o despertar disso, afinal, é isso que estamos passando neste momento por um período de supressão - eu não acho que alguém precise de algum convencimento disso - e nós estamos entrando numa fase de expansão de consciência muito maior, expansão da consciência do medo e da insegurança.

E a insegurança é a chave para entender por que as pessoas querem o controle, se as pessoas querem o controle, ou qualquer outra entidade, o que quisermos chamá-los, querem controle sobre os outros, querem ter o controle - e não o poder de manifestar a sua própria vida, manifestar a sua própria experiência, mas o poder sobre a experiência dos outros, que é o que estamos falando com o sistema de controle - então, isso é sempre, sempre, sempre a manifestação de profunda insegurança.

Assim, o sistema de controle é executado por pessoas inseguras. Nós estamos saindo desse período agora e nós estamos nesta cúspide, é por isso que está tudo muito instável, porque nós estamos neste período agora onde há uma disputa, simbolicamente e literalmente, em muitos aspectos, entre as
construções energéticas deste controle - época supressa, se você preferir - e no vertíce de entrar em um outro.

Então, nós temos uma situação onde o sistema de controle está tentando desesperadamente manter a força que ele teve ao longo deste período e as Vibrações da Verdade, esta aceleração energética - que fornece-nos um novo nível de informações para decodificar e, portanto, manifestar um mundo diferente - estão neste ponto de disputa, neste ponto limite. A cada minuto, a cada ano quando medimos o tempo que passa, este nível de Vibrações da Verdade da consciência vai impor-se como norma.

Dessa forma, eu digo que o sistema de controle está condenado. Estou muito otimista. Não é um caso de:
[fala baixo] Está terminado, acabou-se, então eu vou sentar aqui e não faço nada porque está terminado. Não é assim. Nós somos uma expressão destas energias e, portanto, precisamos entrar em sintonia com elas, seguir as orientações, seguir a inspiração, seja o que for, e ser uma expressão da realidade em cinco sentido delas.

Não se trata apenas de sentar e deixar acontecer. Nós estamos fazendo escolhas aqui, vamos com este novo fluxo de expansão massiva, de liberdade e potencial de proporções inimagináveis em comparação com a nossa realidade, ou vamos tentar nos agarrar ao mundo em que nós vivemos até este momento de "controle e repressão" e "vencedores e perdedores" e "alguns devem ter, portanto, muitos devem perder" e todas essas coisas. Porque essa é a escolha que estamos fazendo, essa é a bifurcação da estrada.

E as pessoas que se agarram a essa energia, a essa realidade, terão alguns momentos reais de desafio - todos terão, claro, porque estamos nesta época de mudança - mas,
tempos difíceis verdadeiros, porque eles estão atando a consciência, estão atando o senso de realidade a uma construção energética que está moribunda.

E se você voltar a isso, Bill, ao sistema de controle que estamos expondo e está se manifestando ou tentando se manifestar mais e mais, então, isso é por certo cem por cento de manifestação holográfica dessa construção energética velha. Portanto, isso deve cair quando a construção energética cair. Se eu tirar esse disco do computador, essa figura na tela, que o computador está manifestando para aquela informação, a tela deve ficar preta. A tela deve ficar limpa. Pois, a informação de construção que a criou já não existe e é para lá que vamos.

E, como eu disse, passaremos por alguns tempos difíceis, porque estamos no meio deste período de transição de ápice acidentado, mas, meu Deus, você sabe, nossos filhos e netos não vão viver a maior parte das vidas deles em um sistema de controle, como assim parece que eles vivem neste momento e ainda parecerá assim por poucos anos. Mas essa coisa toda está vindo a baixo.

É um ótimo momento para se estar vivo. Um tempo muito lindo para se estar aqui, para ver a supressão e a limitação serem substituídos pela expansão e pelo potencial infinito. Tempo maravilhoso, maravilhoso, como é desafiador.


BR: O que eu adoro no jeito como você explica isso é que se casa perfeitamente, alguns espectadores podem reconhecer isso, com o trabalho teórico de um físico inglês chamado David Bohm, B-O-H-M. Ele descreveu exatamente o que você está se referindo como a ordem implicada e a explicada.

DI: Sim, certo, sim.

BR: Você já ouviu falar nisso antes?

DI: Sim, sim.

BR: E o caminho para mudar a realidade explicada, que é como o ex-presso em nossa aparente fisicalidade, é que existe esta realidade implicitada por trás de tudo isso. E, claro, alta tecnologia, ETs, seres espirituais avançados, ou seres espirituais travessos, ou seres espirituais do mal, que não querem saber o que está lá, eles mexem com a realidade implicada e, em seguida, os resultados são como projeções metafóricas na parede, na realidade explicada e isto é algo como o que você está dizendo. Então, eu só queria fechar esse assunto, porque você não está falando besteira aqui, isso é reconhecido pelos físicos quânticos em toda parte.

DI: Bom, isso é um ponto interessante, Bill. Quero dizer, talvez eu possa explicar algo que eu tenho neste novo livro, "Raça Humana, não Fique de Joelhos" (Human Race Get Off Your Knees), que se relaciona a isso em termos de como eu digo que esse sistema de controle surgiu, certamente, o sistema de controle no tempo, podemos voltar e reconhecer isso.

Eu estou dizendo que houve um momento em que este planeta, esta realidade, esteve no período que os antigos chamavam a Idade de Ouro - na verdade eu acho que há uma Idade de Ouro yuga na crença hindu, na Índia.
[Esta yuga é chamada Satya Yuga.] E esse era um momento de grande expansão e conexão. E assim nós não poderíamos, dessa perspectiva de vida aqui e agora, nos chamados corpos físicos, realmente perceber a verdadeira natureza dramaticamente diferente do que aquela época expressou, onde você estava neste mundo, mas você não estava nele em termos do seu ponto de observação.

Você está vivendo neste mundo, mas você sabe que você está vivendo neste mundo. Você não está neste mundo e você não acha que este mundo é tudo que você é, você está lá
[cobre o rosto com as mãos]. Você está no ponto onde você está olhando e experimentando o mundo imediato que você está, cito, "em", mas, você tem pontos de observação, pontos de entendimento, nos reinos superiores da consciência, que podem lhe dar uma visão totalmente diferente dessa realidade.

Por exemplo, se você está sentado em uma casa e todas as janelas estão fechadas - que é, basicamente, o simbolismo de como os seres humanos estão neste período que passamos - então, você pode pensar que o mundo é tudo o que está naquela casa. Mas, você abre uma janela, quando você puxa o seu ponto de observação para além, não apenas no interior daquela casa, mas, para os níveis mais elevados de percepção - por causa dessa conexão entre o nível de experiência e os níveis mais elevados de consciência - de repente você percebe que a casa fica em uma rua! Você vai para a rua, você percebe que a rua está numa propriedade, a propriedade em uma cidade, a cidade em um estado, o estado em um país - Ei! Eu estou... Eu estou num planeta! Então, você olha para as estrelas...

E... mas, tudo isso sempre esteve lá, enquanto você sentava na sala com as janelas fechadas, pensando que sala era tudo o que havia
[cobre o rosto com as mãos]. Assim, esse período de Idade de Ouro em que as pessoas sabiam que éramos uma só consciência, significa que o conflito, a divisão, a competição, o tenho que ganhar, eu tenho que chegar ao topo do pau de sebo, o sentido de que há divisão entre nós, há separação entre nós, isso não se manifesta nesses períodos de expansão e compreensão. Percebemos que somos uma consciência unificada, com diferentes pontos de observação, a que damos nomes distintos.

BR: A proveitando a ocasião - isto foi maravilhosamente apresentado no filme Avatar, o que você escreveu...

DI: Sim, absolutamente certo. Veja, eu acho... Eu não estou dizendo o que James Cameron quis dizer ou simbolizou nesse filme, eu não sei, eu posso lhe dizer o que simbolizou para mim. E, na verdade, isso é um bom exemplo, porque diz respeito a onde eu estou indo com isso.

O que essa manifestação da Idade de Ouro da realidade expandida é, dentro deste Ciclo de Tempo - que não é realmente um ciclo, poderemos chegar a isso a medida que avançamos - é a informação, uma expansão do nível de informação dentro da construção dessa realidade, que nós decodificamos através da experiência holográfica e é uma experiência holográfica muito diferente da que temos tido e da que temos agora, porque a construção da informção é muito diferente da que estamos decodificando agora.

O que estou dizendo no livro é que alguma coisa aconteceu, nesta realidade, para criar o que chamo de um Cisma. Este Cisma foi uma distorção da construção da informação. E essa distorção mudou tudo. Uma das coisas que fez... Porque, eu continuo voltando a isso, eu acho que é muito importante, se continuamos pensando no físico - e o físico é o que parece ser, físico - então, nós perderemos o enredo, porque não é isso.

Esta é uma ilusão holográfica, realidade tridimensional aparente, mas não é sólida, nós a decodificamos assim, mas, não é realmente sólida. É a construção da informação, que é decodificada direto nisso e por isso, se você pegar de novo, não apenas a analogia, mas, o princípio dos hologramas, você tem uma impressão holográfica... informações na forma de onda.

Se você olhar para uma impressão holográfica, ela se parece muito como uma impressão digital - isso também não é por acaso - e, então, eles acionam o laser em forma de onda holográfica, informação, e, manifestam isso, é aparentemente uma figura holográfica tridimensional, o que foi fotografado, essa informação está na impressão. E assim, ao mesmo tempo, você tem a construção da informação, a forma de onda, e você tem a manifestação, a impressão holográfica da forma de onda, que é a imagem, pessoa, caixa, maçã, o que você fotografou.


Assim, quando os cientistas dizem: Hum, como poderia existir algo em forma de onda e de partícula ao mesmo tempo? É porque EXISTE! Quando você olha  para uma figura holográfica, uma figura holográfica tridimensional ilusória, a construção da informação na qual isso foi impresso não desaparece e a figura holográfica fica lá sozinha - elas estão lá, juntas! São diferentes formas da mesma coisa. Uma delas é a informação, a outra é a informação decodificada.

Então, o que estou dizendo com isso, em termos da sequência do que estou falando, é que quando esta construção da informação nessa, o que eu... vamos chamá-la a Idade de Ouro, foi distorcida, assim, essa distorção teve de se manifestar direto no mundo holográfico decodificado. E uma das formas como isso ocorreu, foram os eventos geológicos catastróficos muito intensos. E estes estão registrados em contos, contos e lendas antigos por todo o mundo. Eles falam dos grandes vulcanismo e terremotos catástroficos; eles falam da Terra virando e assim por diante, eles são consistentes em todo o mundo no jeito que eles mostram isso e contam essas estórias.

E, então, há pessoas que pesquisaram de um ponto de vista científico - nível geológico e biológico - nos tempos atuais, e descobriram que essas estórias antigas estão espelhadas em registros biológicos e geológicos.

Portanto, o que aconteceu quando essa distorção na fundação da construção da
informação energética da forma de onda se manifestou direto numa realidade holográfica como, bom, quero dizer a versão bíblica é o Grande Dilúvio, mas, acho que houveram muitas destas coisas não apenas uma, porém, certamente, catastróficas. A outra coisa que digo que houve, isso criou os cismas, as distorções na personalidade humana.

Pois essa harmonia, essa conexão, toda essa harmonia e conexão com todo o resto - brilhantemente simbolizado, como dizes, pelo povo azul no filme Avatar - essa distorção trouxe um fim a isso. Ela trouxe um fim a harmonia do próprio planeta, as catástrofes geológicas ocorridas, mas, isso fraturou as personalidades humanas, aquela harmonia ficou fraturada.


Assim, entramos em todos esses diferentes estados emocionais e... as distorções (novamente, distorção aqui - distorção ali) que nós vemos, todas as distorções emocionais, o medo, que é uma distorção, e outros estados emocionais de baixas vibração, preocupação, medo, frustração, raiva, ódio, conflito. Tudo isso começou a se manifestar.

Agora estamos no período, eu sugeriria, onde essa distorção está sendo curada por essas Vibrações da Verdade, por esta mudança energética. Agora, isso é de fundamental importância para o sistema de controle; porque o sistema de controle, em todas as formas, é uma manifestação holográfica da distorção!

Se a distorção não está lá, o sistema de controle não pode se manifestar, pois dentro de uma construção de informação harmoniosa e equilibrada, coisas como o controle da fome, da escassez, da guerra, do ódio, da tortura, dos rituais satânicos, da pedofilia, tudo isso não pode se manifestar. Essas são manifestações da distorção.

E, quando essa distorção é curada... e é o que está acontecendo, Bill, eu sugeriria - continuo dizendo que eu sugiro, não estou dizendo às pessoas em que acreditar, só digo o que eu sinto - pessoas que estão acordando e dizendo: Como não vi isso antes? Elas são as que estão abrindo as mentes e indo direto a essa vibração mais rápida - porque esta supressão do estado vibracional, a mente estreita, a densidade, rompe-se quando você abre a mente para outras possibilidades - são as que sintonizam com a construção da informação que está chegando, as Vibrações da Verdade como eu as chamo.

Os que ainda estão no sistema de controle e ainda o apoiam, eles são os que ainda estão com a mente fechada e ainda estão, no momento, unidos a essa experiência da época vibracional baixa da densidade velha. Assim, como eu disse anteriormente, quando esta distorção é curada, a manifestação deve cair! Porque essa construção da informação está sendo excluída do sistema.


Dessa forma, o que estamos vendo não é... e isso pode soar estranho, mas se você o seguir de perto, eu não acho que isso é... Agora estamos vendo o sistema de controle no pico da imposição. Ele parece estar se movendo mais rápido, mais leis orwellianas e coisas assim. Mais e mais controle, eles querem por os microchips nas pessoas, eles estão se dirigindo para esse caminho, essa é a agenda. Eles têm os nossos filhos - também os adultos, mas, principalmente, as nossas crianças - como alvos de distorções eletro-químicas, em termos de aditivos químicos nos alimentos e bebidas, o telefone celular, o microondas, sopa eletro-magnética de toda essa tecnologia eletro-magnética.

Tudo isso está sendo jogado em nós neste momento - eu sugeriria, de forma controversa, talvez - não para o sistema de controle obter mais poder, porém, para defender o poder que já teve destas Vibrações da Verdade.

A velha maneira de controlar as pessoas não é mais possível, onde as pessoas só ficam dormindo
[faz sons de ronco]. Eles não precisam de muito! Eles não precisam de muito nesse ponto - eles têm o controle, têm o controle dos recursos, eles têm o controle disso, o controle daquilo e, silenciosamente, eles podem se alimentar energeticamente da humanidade, um recurso esperto e assim, com a humanidade cooperando, sendo os escravos deles sem o saber - essa é a melhor forma de escravidão, é claro, ser um escravo e não perceber.

Mas, por causa destas Vibrações da Verdade e porque eles podem ver além no que chamamos de linha do tempo, no círculo do tempo como o podemos perceber, eles poderiam ver algumas dessas coisas vindo. Assim, eles se centraram neste período para jogar tudo em nós, para tentar nos impedir de ser afetados profunda e fundamentalmente por essa transformação da Vibração da Verdade, porque uma vez que consigamos isso,
[move-se olhando para fora de um ponto de vista restrito] o jogo acabou.

Assim, para mim a surpreendente sincronicidade entre esta mudança de vibração, as pessoas acordando e este bombardeamento de imposições imensamente detalhadas em vários níveis multidimensionais - mentalmente, fisicamente, emocionalmente - na raça humana, para nos oprimir e controlar, estes dois se sincronizam aqui, porque essa vai nos libertar e estes estão tentando impedir que aconteça. Sem chance.

Mas o que acontecerá, isso fará a transformação mais instável e mais desafiadora do que seria sem essa tentativa de detê-la. Não é possível pará-la. Isso pensa que é força irresistível, objeto imóvel. Não é. Essa é a força irresistível e isso terá alguns choques reais, enquanto nos movemos para os próximos anos de 2016, 2017, talvez um pouco mais - certamente na minha vida - quando veremos essa aparentemente emersão da estrutura do sistema de controle irreversível e inexpugnável, quando a veremos cair - pois é um castelo de cartas.

Por quê? Por causa da construção da informação energética que é mantida pelo castelo de cartas, que se manifesta grandemente como a apatia e a ignorância humana, que é fundamental para segurar o que está acontecendo. Assim, o castelo de cartas deve cair. Desculpe amigos, não tem jeito.


BR: Então, qual foi a nova informação que você apresentou na Academia Brixton no outro dia?

DI: Bom, houve um bocado. Eu estava trabalhando naquela apresentação por, bom, meses, realmente, porque era realmente um novo período na minha vida e eu vou ao redor do mundo com ela este ano: a Europa e a América e por aí.

Talvez eu possa explicar como eu reuni essa informação - seja o que for que as pessoas digam dela - ao longo dos anos. É muito simples e tem sido um tema que se repete. Apenas se repete, pois eu progredi pelos níveis da compreensão.

Quando eu - como falamos na última vez que conversamos, Bill - eu falei do que aconteceu comigo quando fui ao psíquico, em 1990, quando eu senti por cerca de um ano, que havia essa presença em torno de mim quando eu estava em um quarto sozinho, eu não sentia que estava sozinho. Isso crescia cada vez mais e, eventualmente...  encurtando a estória, fui ver uma psíquica, pela primeira vez na minha vida e ela começou... após duas visitas, na terceira visita, ela começou a receber esse material, essa imagem na cabeça e ela disse: "Estão me dizendo para lhe dizer algo", que eu estaria em evidência no mundo e eu ia revelar grandes segredos.

E eu... Você me conhece - eu estava apresentando sinuca e esporte na televisão BBC na época. E eu era o porta-voz nacional do Partido Verde e essas coisas, mas eu aparecerei num cenário mundial e revelarei grandes segredos... Quero dizer, você sabe, o quê? Mas, algo dentro de mim, além do nível de consciência, dizia: Você vai. Você vai. Podes crer! Acredite nisso!

Mas, afinal, aonde estou indo com isto, entre essas mensagens que me foram dadas em 1990 estavam: Ele vai dizer coisas e se perguntar de onde elas vieram. Elas serão nossas palavras. Às vezes a gente colocará o conhecimento na mente dele. Às vezes, ele será guiado ao conhecimento. Uma outra veio, um pouco mais tarde: Uma busca árdua não será necessária. Tudo foi organizado há muito tempo - palavras com esse efeito. Tudo o que ele tem que fazer é seguir as pistas.


Agora, como você sabe, há um anúncio famoso na Grã-Bretanha que tem estado na praça por alguns anos, e o slogan é o seguinte: Isso faz exatamente o que diz na lata. Bom, tudo o que posso dizer deles, seja lá quem eles sejam, em algum nível da consciência desencarnada, é que fizeram exatamente o que disseram na lata.

O que aconteceu ao longo dos anos é que - desde o início, na verdade - eu tive uma percepção do nada que algo é assim como é. E, em seguida, as informações dos cinco sentidos começam a chegar. Como, eu encontro alguém que traz à tona o assunto e eu pego informações disso. De repente, eu lerei um livro com esta informação. Tenho uma experiência que é sobre esta informação. Cruzo com documentos. Posso encontrar algo na internet sobre essa informação.

Mas, não leva... isso leva uma semana, um mês, dois, três meses. Esta é uma sequência concentrada. E eu aprendi ao longo dos anos a... seguir isso e reconhecê-lo, o que não é difícil porque isso fica mais poderoso e a sequência fica menor.

Eu comecei a escrever este livro do início... talvez, em março de 2009, embora uma grande parte fosse interrompida quando eu estava viajando. E, eu não sei, um mês, dois meses nisso, sentei-me para começar a escrever naquele dia e a energia na sala se alterou. E eu pensei: Conheço isso, eu reconheço isso. A energia na sala mudou. Houve uma mudança vibracional. Você pode sentir isso. A atmosfera se modificou - uma forma simples de dizer - Eu reconheço isso.

Então, o que eu percebi, quando isso estava acontecendo, é que o primeiro tema básico era: a Lua não é real. É claro que havia mais para saber sobre isso como veio, mas, a Lua não é real, a Lua não é o que você pensa que ela é. E eu estou pensando... a Lua não é o que você pensa que ela é. Agora, eu tive um ou dois pressentimentos sobre isso ao longo dos anos. Um pequeno pensamento, você sabe, no momento. Mas, então, se foi. Isso nunca chegou a lugar algum.


E, assim, eu pensei: a Lua não é real. Então, coloquei algumas palavras-chave no NetFind, não esperava encontrar nada. E dentro de um minuto, dois minutos, eu não sei, talvez menos, suponho, com a velocidade do Google, apareceu um livro chamado, Quem construiu a Lua? por dois pesquisadores que escreveram outros livros. Quem construiu a Lua? Quero dizer, você sabe, que título maravilhoso para o que eu acabei de receber: a Lua não é real.

Eu o li. Comprei-o e o li, imediatamente. E, não estou dizendo que tudo no livro, ou tudo em qualquer livro, é 100 por cento real. Quero dizer, caramba, estamos tentando descobrir grandes mistérios e não só mistérios que não querem ser descobertos, ou pelo menos pessoas que não querem que nós os descubramos. Então, sabes, não estou dizendo que cada palavra em cada livro é 100 por cento real, é claro que não é. Não é a maneira como as coisas são. Mas, eu estava realmente impressionado com a maneira como eles mostraram as anomalias, as anomalias muito estranhas e inexplicáveis sobre como... Bom, antes de tudo, sobre como a Lua foi criada.

Quando eu comecei a ler sobre as explicações científicas... E, isso é outra coisa, você sabe. Tantas teorias científicas, pela repetição tornam-se: Foi assim que aconteceu, é um fato científico. E então você diz: Espere um segundo. Fato científico? Vamos voltar aqui... Ei! É uma teoria!

E me deparei com a Teoria do Grande Impacto de como a Lua foi criada. E, que diz que um planeta do tipo de Marte bateu na Terra, o impacto tirou um pedaço grande da Terra que se tornou a lua. Então, eu li, como eu segui isso, por causa da física e etc - a ciência disso - não deu certo, então, eles o alteraram um pouco, tal que o planeta atingiu a Terra e depois voltou e a atingiu de novo.

E eu pensei: Bom, isso é muito desespero.

- Vou te dar um cacete. Queres mais um?

- É.

- Ok, aqui vai. Agora, aqui está a Lua. Veja o que aconteceu?

E o fato, de que a Lua é muito maior do que realmente ela deveria ser como um satélite da Terra, que o seu posicionamento e a sua geometria,
as relações geométricas e matemáticas, particularmente, entre a Terra e o Sol são muito, muito impressionantes e "o quê?". De fato, há evidência de que a Lua é oca - em grande parte oca. Eu acho que ela está compartimentada.

Portanto, me deparei - com o que muitas pessoas poderiam ter se deparado no passado,
tudo isto é muito embaralhado - os dois cientistas russos, da Academia Soviética de Ciências, que escreveram um artigo, acho que na Sputnik Magazine (Revista Sputnik), em 1970, postulando que a Lua foi construída, era oca... Não totalmente construída, mas um planetóide esburacado. Novamente - oca. E que uma forma de vida não-humana extraterrestre muito avançada, o que você quiser chamá-la, tecnologicamente avançada, a concebeu.

E eles entram em detalhes sobre como eles acham que a Lua foi construída. Quando você segue a maneira que eles dizem que ela foi construída, isso começa a justificar as anomalias que a ciência diz: O quê? Como um cientista disse: A única coisa verdadeira que se pode dizer sobre a Lua é o erro de observação, isso não deveria estar lá da maneira que está.

Uma das coisas que os cientistas disseram, por exemplo, é que do lado de fora da Lua por cerca de cinco quilômetros de altura mais ou menos, há uma zona-tampão inicial, se me permites, para protegê-la de ser golpeada por detritos espaciais e objetos.

E, então, eles dizem - eu não estou dizendo que isso é absolutamente 100 por cento verdade, mas acho que os teoristas estão, provavelmente, com toda a razão - então há quase uns trinta e dois quilômetros, eles disseram, de barreira inexpugnável. Você tem crateras na Lua que, apesar dos tamanhos diferentes, e, obviamente, do poder de impacto, elas têm uma profundidade muito geral, o que faz algumas pessoas dizerem: Como isso é possível, quando você tem impactos diferentes?... Assim, algo vai até um certo ponto e não mais.


Enfim, juntei tudo isso e coloquei um monte de outros... há um monte de detalhes no livro e, em seguida, liguei para o profeta, não é? Então, liguei para Credo Mutwa, o xamã zulu, o historiador oficial da Nação Zulu. E... eu descobri que se você tomar o simbolismo das lendas zulu, achei que elas são extremamente precisas ao longo dos anos.

E uma das coisas que me faz sorrir é a seguinte, esses antropólogos e historiadores convencionais e o que seja, eles tantas vezes tomam as estórias simbólicas que os antigos dizem e as decodificam, literalmente, porque eles são pessoas que usam apenas o cérebro esquerdo - isso é tudo o que podem fazer, não podem, simplesmente, girar a coisa para vê-la  pelo processo simbólico. Porque estamos num tempo em que nós... é muito mais fácil comunicarmos o que estamos tentando dizer, porque mais e mais e mais tecnologia está espelhando a realidade que estamos vivenciando.

Por exemplo, o universo de realidade virtual é uma construção da informação vibratória e decodificamos essa informação do elétrico para o holográfico, para criar essa realidade. Acabei de descrever a Internet, você vê. Se a internet sem fio está nesta sala, então o computador que está cá pode puxar esta realidade mundial coletiva do éter invisível. Bom, isso é o que fazemos de uma forma muito mais sofisticada. Por isso, a construção da informação é tão fundamental para a realidade holográfica que nós experimentamos.

Os antigos não tinham nada disso! Esses videntes e portadores do conhecimento, ao tentar explicar o que eles estavam tentando dizer sobre a realidade e a vida, eles tiveram que usar o simbolismo que estava disponível a eles e o simbolismo que o público deles, o povo daquela época, poderia entender.

Tudo que é um pré-requisito para isso. Liguei para Credo. Não lhe disse nada sobre os meus pensamentos sobre a Lua e como... quais outras coisas eu juntei até esse ponto.

Eu disse uma frase simples:

- Credo, você pode me dizer quaisquer lendas zulu sobre a Lua?

- Ah, sim, Sr. David - ele disse - Nós chamamos a Lua um ovo. Nós dizemos que a Lua é um ovo.

Claro, um antropólogo que não tinha conhecimento dessas coisas diria: A Lua é um ovo?
[Sussurros] Povos primitivos. Primitivos. Primitivos. Eles nunca passarão num exame, você sabe.

Por que eles a simbolizaram como um ovo? Porque eles dizem que a Lua foi escavada, foi escavada por dois irmãos, irmãos répteis, chamados Umpanku e Rwani. E eles eram conhecidos como os Irmãos d'Agua nas lendas zulu. E eles dizem que os irmãos escavaram a lua e a rolaram pelo céu a centenas de gerações atrás. E quando eles a trouxeram para a Terra, criou-se grandes catástrofes geológicas.

E, claro, quando a Lua chegou, uma das coisas que faria, ela faria a Terra se mover. Então, você tem esta lenda antiga da Terra girando. Seria... basicamente, o que causaria a destruição do que quer que houvesse antes e, em seguida, eles podem construir, quando tudo se acalma, aqueles de dentro da Lua podem construir uma nova sociedade deles. Estou absolutamente certo de que foi isso o que aconteceu.

E, curiosamente, é claro, Bill, como você bem sabe, Umpanku e Rwani, que nas lendas zulu tinham pele escamosa como um peixe, eram dois irmãos que foram chamados os Irmãos d'Agua. Esta é a lenda da tribo zulu da África do Sul. Leve isso à Suméria, na Babilônia, e as tábuas sumérias e você chega aos Anunnaki que eram liderados por Enki e Enlil. E, certamente, Enki era muito simbolizado e associado à água. Eles foram... mais uma vez - eles eram irmãos.

E, mais uma vez, isso reflete toda essa estória, e há tantas estórias sobre irmãos. Tais como, Caim e Abel e todas estas estórias de irmãos. Eu acho que você as traz de volta, elas têm um tema original voltando a estas, o que eu diria, entidades reptilianas. E as lendas zulus afirmam que Rwani e Umpanku eram répteis, foram... eles são chamados ali de Chitauri, os filhos da serpente, filhos da jibóia. Eles roubaram a Lua do que os zulus chamam de o Grande Dragão de Fogo e a trouxeram para a Terra.


E... a Lua trouxe a catástrofe, mudou tudo. Claro, isso afetou o ângulo e a rotação da Terra - toda a maldita coisa. Afeta a água. Ela tem um impacto tremendo no sistema hormonal humano que bloqueia o sistema endócrino, que trava a glândula pineal e pituitária do terceiro olho - ver além da visão dos cinco sentidos e estar ciente dos níveis além dos cinco sentidos. Tem um impacto fundamental. Não importa as outras coisas que eu estou dizendo que vem dessa lua. Estando lá, nesse tamanho, nesse lugar isso tem efeitos fundamentais na Terra.

Voltando ao que estava falando antes, eu estava dizendo que quando a Lua chegou, em associação com outras coisas que aconteceram ao mesmo tempo - porque há toda uma estória para contar sobre Marte e o que aconteceu nesta estória - que isso... Você vê, nós olhamos para a Lua, como tudo o mais, e vemos uma Lua sólida. Esse é o nível holográfico decodificado dela. O estado primordial dela é uma construção informacional. Como tudo na construção informacional da forma de onda básica dessa realidade.

Assim, quando a Lua entrou no "físico"... ela só veio ao físico na realidade da transmissão holográfica, que chamamos de realidade dos cinco sentidos - Eu chamo isso, de qualquer forma, mantê-lo simples. Na verdade, foi a informação se deslocando pela construção informacional em forma de onda que causou a distorção de todas as coisas de que falamos antes e que se manifesta neste planeta. Essa distorção se manifestou no sistema de controle.

Ela está se manifestando nas personalidades humanas fraturadas, em desarmonia e, num certo sentido, desesperadamente, limitada em si e no mundo. Porque quando você está em harmonia e equilíbrio, você pode alcançar níveis superiores da consciência. Mas quando seu campo de energia está fazendo isso:
[movimentos agitados e tagarelando] com tudo isso, com todas essas coisas - preocupação, medo, [tagarelando] - então, você não está naquele estado.

E, portanto, o que você pode sintonizar e baixar em termos de compreensão, consciência, percepção, até mesmo manifestação, está, fundamentalmente, limitado ao estado harmônico e harmonioso da consciência em que estavamos antes - os seres humanos estavam antes - da distorção.

E, como eu digo, essas Vibrações da Verdade estão curando a distorção. E a manifestação da distorção está jogando tudo em nós, para tentar manter aquilo que está sendo energicamente excluído do disco, que é a razão pela qual o mundo mudará drasticamente após esta inflexão passar, dramaticamente para melhor, radicalmente para melhor.


BR: Agora, onde isso se relaciona com importância da Lua não ser o que parece ser?

DI: Bom, veja... Eu acho que quando a Lua entrou, como mencionei anteriormente, estava associado com muitas outras coisas. Você sabe, quando os antigos falavam sobre a guerra dos deuses nos céus, eu não acho que eles estavam falando simbolicamente. Qual é o simbolismo, pode ser discutível, mas... essas pessoas pegaram isso. Mas eu acho que há uma boa chance de que isso foi realmente literal. Foi uma batalha entre o que percebemos como... o que eles percebiam ser deuses.

E acredito que a destruição de Marte, que acho que foi um planeta ocupado até bem mais recentemente do que as pessoas pensam, e o fato de que existe esse conto - não apenas com pessoas como Immanuel Velikovsky, que é famoso por isso, mas, também, de novo, nas lendas zulu - exatamente o mesmo - que havia um planeta entre Marte e Júpiter que foi destruído. Ele foi destruído por algum tipo de armamento de alta tecnologia.

Se você assitir o filme Guerra nas Estrelas, sabe né... Estrelas... Você sabe, George Lucas, Bill, é um informante privilegiado. Ele não está usando a danada da imaginação dele. E essas coisas sobre: Em uma galáxia muito, muito distante... Desculpe-me, essa aqui. Obrigado, George. E, você sabe, ele tem o conto de um planeta que está sendo destruído e tem o conto da Estrela da Morte. O que é a Estrela da Morte? Parece a Lua! Foi construída. Foi construída para ser usada na tentativa de tomar o controle dos planetas.

Eu acho que existem muitas dessas coisas e penso que, o que a linguagem da vida, e todas essas coisas que eu falei anteriormente, a forma como essa informação é colocada diante de mim, o que está dizendo para mim - eu sugeriria, de qualquer forma - que há um modus operandi pelo qual eles trazem estas luas.

Quando eles trazem as luas, elas têm um efeito fundamental sobre o planeta como ele é e, portanto, elas, basicamente, como fizeram aqui, mudam completamente o planeta. Acabam com a civilização - terminam. E, então, quando as coisas se acalmam, eles começam a manipulação genética e outras manipulações e eles controlam essa sociedade, assumem o planeta.

Mas, uma coisa digna de menção é que estas luas dependem do planeta alvo para os recursos e o trabalho escravo, para criar os recursos e tudo o mais. Assim, embora pareça haver essa dinâmica de que a Lua está no controle do planeta, na verdade, a Lua está totalmente dependente do planeta para tudo o que ela precisa.

E um dos temas comuns nos contos antigos, através das lendas zulu e através de pessoas que eu conheci no mundo moderno, ao longo dos anos, é que essas entidades reptilianas - que eu digo estavam dentro da Lua, não só lá, acredite, dentro da Terra e também em outras áreas do sistema solar, mas - elas têm medo de exposição.

Porque, em comparação com a população humana, não existem muitos deles. É por isso que... uma das razões para quererem reduzir a população humana - que é um tema recorrente na investigação da conspiração - é porque eles não podem lidar com essas quantidades.

Mas, eles
também são completamente dependentes deste planeta e dos recursos...

BR: É uma relação parasitária a que você está descrevendo.

DI: Ah, isso é o que eu disse no livro. E isso é interessante, Bill, porque falo sobre algo no livro que chamo de Matriz da Lua. E, esta Matriz da Lua é uma mente coletiva que é transmitida da Lua. E, basicamente, é a mente coletiva dessas entidades reptilianas. Então, o que eles realmente fizeram -  explicarei o que quero dizer, em um segundo, em detalhes - mas no tema, uma vez que você traga esse ponto sobre o parasita, é que, em muitos aspectos, a humanidade tornou-se uma expressão coletiva dessa mentalidade.

Então, se você olhar para a sociedade... e eu falei sobre todo este assunto no livro, é engraçado, você tem um grupo de parasitas que, literalmente, sai por aí fora, parasitando outros planetas, outros grupos de pessoas, as populações, as populações do planeta. E eles transferiram isso para a sociedade humana.

Olhe só, Bill! A sociedade humana está repleta de pessoas parasitando umas as outras. Utilizando os esforços,  os talentos deles para tirarem recompensas para elas, enquanto que elas não contribuiem com nada. Olhe para o sistema bancário! É a maior rede parasitária que você poderia encontrar! Você olha os governos parasitando as populações. Olhe para as corporações transnacionais parasitando a população. E, então, você olha a população em geral e você tem mais parasitas.

Quero dizer, eu tive parasitas na minha vida. Um cara tentou assumir o controle de todos os meus livros e eu tive que gastar uma fortuna indo ao tribunal para detê-lo. Ele não havia contribuído com uma palavra, ou um fato! Pessoas, como Jordan Maxwell, tiveram parasitas na vida. Um em particular, que tentou assumir o trabalho dele, o trabalho da vida dele, e ganhar dinheiro com isso. Assim é com muitas pessoas! Vês parasitas em toda parte. Por quê? Então, você examina o corpo de um parasita e o corpo é multinível.

Eu sugeriria que a mentalidade reptiliana foi transferida para a mente coletiva humana de uma forma que eu  chegarei a... através daquilo que eu chamo de Matriz da Lua. Dependendo de quão poderosamente você está atento a esta Matriz da Lua, esta mente coletiva, é como você será afetado por ela. Quanto maior a intensidade de sintonização com ela, mais o comportamento e as percepções espelharão essa mentalidade mente-colméia.

Quanto mais você expandir sua consciência e, portanto, seu estado de vibração fora desta frequência da Matriz da Lua - que está sendo transmitida da Lua, eu sugeriria - menos você é afetado por ela.


Agora, muito rapidamente, voltamos a este período em que estamos. Eles estão desesperados para impedir que as pessoas despertem da influência da Matriz da Lua, portanto, fora da mentalidade de rebanho, da mente-colméia. Quando você começar a se retirar dela, a influência sobre você diminui, acabando por desaparecer e, de repente, você pode ver coisas que você não podia ver antes.

E um dos... como mencionei anteriormente, o estado básico principal dessas entidades reptilianas, porque desejam controlar, é insegurança desesperada. Medo de perder a... a capacidade de sobreviver porque a população-alvo vê o que está acontecendo. Portanto, essa é a mentalidade em que eles estão baseados. Essa mente coletiva que está ligada à mente coletiva humana, essa mente de colméia, manifesta, projeta, comunica isso a população.

Assim, o que você está vendo? Você está vendo uma população humana que está, certamente, ansiosa, com medo de não sobreviver. E, não só fisicamente, mas, também, financeiramente, assim: Será que o meu parceiro me deixará? Vou perder meu emprego? O meu sistema de crenças sobreviverá a esta nova informação? É tudo sobrevivência, sobrevivência.

E de onde vem isso? Você conversa com especialistas em cérebro, anatomistas de cérebros, etc, etc, e eles te dirão - vem do cérebro reptiliano. Isso vem do cérebro reptiliano, o que eles chamam, alguns deles chamam, de o complexo-R. Eu escrevi sobre o cérebro reptiliano por anos, por muitas razões evidentes.

O que estou dizendo no livro - e, novamente, as pessoas só têm que sentir isso - é que essa manipulação genética de que os antigos falaram, que você encontra repetidas vezes - você vê na Bíblia - os filhos de Deus miscegenaram com as filhas do homem e todas essas coisas, mas isso é apenas uma expressão, está em todos os lugares - eu estou dizendo que esta era a sequência, a sequência básica do tema - Lua entra, muda tudo - fim da sociedade como era antes, toda uma maldita catástrofe geológica e biológica enorme, personalidades humanas fraturadas, até mesmo,
para aqueles malditos que sobreviveram.

Então, as coisas se acalmaram e começa a manipulação genética. As sociedades, de repente, começam a brotar na Suméria, Egito, Vale da Índa, América do Sul, África Ocidental, China. Aqueles que estavam à frente do resto deles. Eu digo que é a influência dessas entidades. E, claro, então, você tem as estórias dos Anunnaki na Suméria. Você tem as estórias dos Chitauri na América do... na África do Sul nas lendas zulu.

O que eu estou dizendo é que houve uma manipulação genética da espécie humana. Eu não estou dizendo que não tinhamos nenhum cérebro reptiliano antes. Eu estou dizendo que não era nada como é agora. E digo que o cérebro reptiliano atua, se você usar a analogia do computador - a analogia do computador do corpo biológico que eu tenho usado por anos, onde é o computador biológico que capta essa informação e as transforma nesta realidade e porque é biológico, tem a capacidade de pensar por si mesmo num certo nível - se você fizer essa analogia - trata-se de um microchip, este cérebro repitiliano, e este microchip está conectado à Matriz da Lua.

Se nós vivermos nossas vidas através dos traços do caráter do cérebro reptiliano... que é basicamente o medo de não sobreviver em todas as expressões e, também, reação. O cérebro reptiliano não pensa, ele reage! Isso é uma coisa boa em alguns aspectos. Se estiveres dirigindo ao longo da estrada e alguém entra na frente do seu carro
[cerra os punhos subitamente]: Obrigado, cérebro reptiliano. Sabes, não está passando pelo neocórtex: Ah, essa mulher está atravessando a estrada. O que devo fazer? Devo parar? Devo desviar? Não. Crash!

Mas, uma vez que consigas esse mecanismo de reação se manifestando, influenciando e ditando... Muita gente diz - meu Deus - todos nós, de vez em quando, se não mais do que de vez em quando, na correria da vida, nas decisões e nas interações. Então, tens uma sociedade que é realmente uma manifestação do cérebro reptiliano.

No livro,  entro em muitos detalhes sobre as características do cérebro reptiliano e depois as comparo com os traços da sociedade humana, eles são, incrivelmente, espelhos um do outro, de muitas maneiras.


Assim, o que você teve, eventualmente, foi o seguinte - a sociedade terminou, essa que estava lá antes, com a chegada da Lua, as coisas se acalmam, a manipulação genética começa a sintonizar a espécie humana à Matriz da Lua - as transmissões da Lua - que, obviamente, começou com uma população muito pequena. Eu diria que esta espécie saiu da África, que parece ser com o que os antropólogos concordam também e se manifestou, eventualmente, na espécie humana como a conhecemos hoje.

Quando eu vi um filme... acho que foi feito na década de 80, eu o vi na década de 90... chamado They Live (Eles Vivem) e foi - não apenas produzido, acho que ele fez tudo, ele escreveu a música, cada maldita coisa: John Carpenter, que trabalhou com George Lucas em Guerra nas Estrelas, os efeitos especiais e etc.

Quando eu vi este filme pela primeira vez, Eles Vivem - e, a propósito, se você for no YouTube e colocar "They Live de John Carpenter", você ainda pode vê-lo em seções, eu recomendo que façam isso - eu pude ver, naquela época, Bill, que era uma declaração de como era, eu estava entendendo, o mundo com o passar dos anos.

Mas, meu Deus, da perspectiva sentado aqui, é com certeza correto. Se esse cara... bom, é claro, John Carpenter afirma que não é nada disso, era apenas uma estória - agora, dá um tempo, John, por favor..., por favor, por favor, vem cá..., não insulte a nossa inteligência.

Para as pessoas que não o viram, isso foi assim - começou com uma depressão econômica enorme na América, onde foi filmado, e seria no futuro, depois da década de 80, quando o filme saiu, mas esse futuro é agora; havia uma grande depressão econômica e haviam pessoas vivendo - hum, é mesmo? - nas cidades em tendas e em terrenos baldios em barracos de telhas de zinco amontoados nas calçada onde dormiam - está acontecendo em toda a América do Norte agora - e o personagem principal estava chegando, no início do filme. E ele está procurando um emprego na indústria da construção e não há nenhum, mas ele consegue achar um.

No final do dia, um cara preto grande lhe diz na obra: Você tem algum lugar para ficar? e ele diz: Não, eu não tenho. Assim, eles voltam (encurtando a estória) a esta aldeia improvisada, em um pedaço de deserto - com tendas e construções de telha de zinco amontoadas - eles conseguem de alguma forma ligar uma televisão, não uma muito boa, nesta pequena favela. Eles a estão assistindo, ele tinha acabado de chegar.


E, de repente, o programa é interrompido [bate as mãos] e aparece este homem dizendo: Eles estão aqui (palavras como essas, não me lembro das palavra certas) Eles estão aqui! Nós não percebemos isso, eles estão aqui! Eles estão aqui! Eles estão nos controlando, eles estão nos controlando!

Enfim, o cara que - vou chamá-lo o construtor, o rapaz que chegou e foi levado a esta favela - ele começou a ficar muito curioso sobre uma igreja do outro lado da rua, por causa da atividade nela. Algumas pessoas da favela estavam indo para lá e era... estranho. Seja como for, ele entra e examina o local. Ele percebe que a música na igreja, que se ouve durante a missa na igreja, enquanto ele examina o local, é na verdade uma maldita fita gravada, certo, e há uma operação secreta dessas pessoas para resistir ao sistema de controle.

Pois não havia só uma depressão econômica, havia um estado policial - ei, ei! É agora, isso é onde se está... foi localizado. Então, enfim, naquela noite há um batida da policial estadual: existem helicópteros, policiais, armas e escavadeiras chegam e arrasam a favela. No dia seguinte (alguns deles são presos, porém ele escapa), ele volta a igreja, na manhã seguinte. E eu acho que, como eu me lembro, ele notou que haviam algumas caixas e caixas de papelão quando ele foi pela primeira vez, e ele voltou e pegou uma.

E ele saiu, não há ninguém lá, naquele momento, ele saiu correndo para dentro do... para esta rua entre estes edifícios grandes, de volta a rua, e ele abre a caixa. E... eram apenas óculos de sol! E, claro, ele fica surpreso e decepcionado, por serem apenas óculos de sol. Então, ele pega um, coloca no bolso, joga a caixa fora, vai embora. Ele vai para a rua principal e coloca os óculos. Agora o mundo está completamente diferente.

Agora, ele está vendo, não um anúncio da Coca-Cola, ele vê CONTINUE DORMINDO na placa do anúncio; não um anúncio de um feriado local, mas NÃO QUESTIONE A AUTORIDADE, OBEDEÇA - ele pode vê-los através dos óculos. Então, ele vai para uma banca de jornal e olha para as revistas, como Newsweek, Times, esse tipo de coisa, com os olhos nus há texto e fotos como normalmente há! Coloca os óculos, tudo no subconsciente: CONTINUE DORMINDO, OBEDEÇA A AUTORIDADE, todo essa coisa.


Então, um cara chega para comprar um jornal e ele o olha - parece humano. Põe os óculos: o cara não é mais humano. Então, ele começa a caminhar e começa a perceber que nem todos e nem a maioria, mas um número significativo de pessoas, quando ele usa os óculos - que está decodificando a realidade de uma maneira diferente - na verdade, não são humanos! Porém, a olho nu, ele continua fazendo isso [põe e tira óculos] tirando os óculos - são humanos.

Então, ele percebe o que está acontecendo. Ele olha para a televisão, o presidente está fazendo um discurso - ele não é humano; membros da força policial - não são humanos; entra em um banco e alguns deles - não são humanos. E assim vai.

Agora, concluíndo essa estória, como o filme acaba, foi percebido que a razão pela qual a humanidade não pode ver o que ele pode ver com os óculos, é porque no topo da torre de televisão, há um prato enorme que está transmitindo um sinal que bloqueia - usaria a palavra "sistema de segurança", assim como as autoridades chinesas usam sistema de segurança no sistema de computador e no sistema de acesso à Internet na China, tal que os chineses não podem acessar grande parte da Internet que o resto de nós pode - o sinal desta antena no topo da torre de televisão bloqueava a capacidade do povo de ver o que ele podia ver com os óculos.

O que eu estou dizendo no livro é que se você pegar o prato na torre de televisão, simbolicamente no filme, e colocá-lo na Lua, então, você praticamente tem o enredo do que falo. E, claro, há muito mais detalhe para se saber, mas estou... em termos do enredo. Partindo disso, sabes, pois a informação vem a mim tão rápido, no momento, da forma que descrevi anteriormente, estou convencido de que esta Matriz da Lua opera dentro de um controle maior da matriz, que... e acho que o planeta Saturno está grandemente envolvido nisso.

Eu acho que há muito mais para se saber sobre as luas de Saturno, por quê tem tantas e, também, por quê Georges Lucas - muito comprovadamente, quando você vê as duas juntas - baseou a Estrela da Morte em Mimas, uma das luas de Saturno. E, claro, como você bem sabe, Bill, os informantes falaram de espaçonaves enormes de tamanhos (na nossa perspectiva) inimagináveis, entrando e saindo de Saturno.


BR: Bergrun Norman, The Ring Makers of Saturn (Os Construtores do Anel de Saturno).

DI: É. E acho que na Conferência de Barcelona, mais recentemente, as pessoas falaram disso também, e...

BR: Bob Dean.

DI: É. E a coisa é essa, acho que há uma grande mudança que precisamos entender. Que é isso, pois nós, neste planeta Terra, vivemos no... bom, pelo menos na realidade holográfica ilusória... [ri] Onde se vive, realmente, dentro do que chamamos de tempo e espaço? Mas, na nossa percepção, enfim, vivemos do lado de fora do planeta. Será que é assim que todos os planetas funcionam? Eu sinto que, pelo menos, um grande número dos planetas operam com a população vivendo dentro do planeta e não, necessariamente, do lado de fora.

E voltando ao... E é por isso que acho que perdemos muito, porque você olha o exterior e diz: É inabitável! Bom, talvez seja por fora, mas, e o que está por dentro? Bom, voltando para... você falou antes sobre Avatar. Acho que... Como eu disse, não sei o que Cameron estava simbolizando, mas descaradamente isso simboliza para mim - se você pegar as pessoas azuis com o nariz de leão - e acho que o simbolismo do leão é muito, muito poderoso, porque eu acho que... Eu uso isso como um símbolo do ser humano real, em oposição ao ser humano suprimido que nos tornamos - então, você pega as pessoas azuis com os narizes de leão, você as leva para a humanidade antes do cisma, antes dos predadores chegarem - em harmonia, conexão total com tudo.

Então, você pega os militares americanos, com alta tecnologia, entrando naquela Lua, que eles chamaram de Pandora, e assumem, tirando os recursos do planeta, sem a mínima compreensão da conexão de tudo, apenas o destroem - compare esses militares americanos em Avatar com os répteis predadores e acho que você está muito perto do enredo do que realmente aconteceu.


BR: Seria um enredo muito interessante, ocorreu-me, para um filme posterior, onde os seres humanos que você descreveu metaforicamente como os reptilianos...

DI: Certo.

BR: ...voltam para se infiltrar nos Na'vi, as pessoas azuis, com avatares que não são benevolentes, como os que vimos no filme, interpretados por Sigourney Weaver e os outros, mas, na verdade, como infiltradores. Porque aqui temos os reptilianos entrando e controlando essas... controlando estratégica e militarmente essas posições no campo de batalha política e econômica. Por procuração, eu acho.

DI: Sim, bom isso é uma coisa muito interessante sobre o filme Avatar, é que tem essa profundidade que eu tenho escrito por toda uma década ou mais; o fato de que, os que chamamos de linhagens Illuminati são híbridos. São híbridos de humanos e répteis, que foram especificamente criados por estes reptilianos.

Eles não estão apenas, apenas, na Lua, mas isso é uma parte importante do sistema de controle deles, eu estou, absolutamente, convencido disso. Eles produziram uma linhagem especial que tinha uma conexão genética muito mais poderosa com eles. Agora, mais uma vez - estou falando da ligação genética que chamamos de genética. Isso é performance holográfica, isso é o que a genética é na nossa percepção.

Vemos a genética... O que a genética é realmente, é um programa de computador, é uma construção da informação, dentro do nível de forma de onda metafísica - que chamo no livro de universo metafísico, assim é como descrevo a construção da forma de onda, a construção da informação, como o universo metafísico em oposição ao universo holográfico apresentado. E, assim, porque existe esta genética - aqui -
[mostra um espaço na frente dele] em conexão com  está, na verdade, aqui [mostra um espaço por trás] criando uma conexão de informação vibracional.

O que significa que estas linhagens específicas, que chamamos de linhagens Illuminati, esse cruzamento de  linhagens no topo do sistema bancário, do sistema político, das forças armadas e tudo isso, no domínio da mídia, eles... esta compatibilidade vibracional significa que estas entidades reptilianas que operam fora da visão humana, ou pelo menos podem projetar-se de uma forma que não podemos decodificá-las, elas podem possuir  faculdades mentais e emocionais - e, assim, comportamentos e ações - dessas linhagens híbridas de um modo que é muito menos poderoso na população em geral.

Dessa forma, quando olhamos para os Rothschilds, os Kissingers, os Rockefellers e todas essas outras grandes famílias de negócios, bancos e políticas globais, na verdade, vemos os intermediários masculinos e femininos, vibracionalmente, dentre os reptilianos fora da visão e da sociedade humana.


E quando você... usando esta analogia - você sabe quando um cientista quer trabalhar com algo que é perigoso de se trabalhar, o que ele fará é... Você os vê de tempos em tempos, eles têm uma grande câmara. O material perigoso fica na câmara, o cientista está do lado de fora da câmara - pense em campo vibratório - esta realidade, a realidade deles, de forma esmagadora. Eles podem entrar e sair, mas não podem ficar aqui por tanto tempo, parece ser um problema. E o que os cientistas farão nos laboratórios, eles põe essas luvas grandes. Tal que, embora eles estejam fora desta realidade, eles podem trabalhar nela. Estas linhagens Illuminati são, na verdade, as luvas. Elas são o veículo que lhes permite se infiltrarem na sociedade humana, dentro da nossa faixa de frequência de percepção, vindo da faixa de frequência de percepção deles. E, como eu digo, eles podem vir para esta realidade - tenho certeza que existem alguns que estão dentro da nossa realidade, que podem ficar aqui, possivelmente - mas os mais importantes, a principal força de controle pode entrar, mas ela não pode ficar por muito tempo.

Eu acho que há muito simbolismo no presente, com as estórias de vampiros e Drácula, que... eles não podem sair, você sabe, quando o sol sai eles têm que desaparecer e todo o resto deles, ficam fora da luz solar. Há muito simbolismo lá disso.

Porque toda a base dos vampiros, as estórias de vampiros, vem dessas entidades reptilianas, eu sugeriria, por esta razão - eles podem vir para a nossa realidade que é vibratoriamente não compatível com eles, pois não podem ficar muito tempo antes de serem desmontados, vibratoriamente, gravemente afetados, mas uma forma deles poderem ficar mais tempo é  bebendo sangue humano.

Pois o sangue humano, mais uma vez, se você o tira do holográfico - o que vemos é uma coisa vermelha passar pelas veias - você o traz para este nível do universo metafísico, é novamente - informação. É um estado vibracional. E ao consumir sangue humano, ele carrega o código genético humano, portanto - no universo metafísico, o código vibracional - e isso lhes permite permanecer nessa realidade por mais tempo.


E esta é uma razão, haverão outras, mas este é um motivo para que se siga estas linhagens e etc. você finalmente chega a coisas como pedofilia, satanismo, sacrifício humano. Sacrifício humano para quem? Os deuses! Os deuses reptilianos que se alimentam dessa energia de terror e medo, etc, que um sacrifício humano satânico, sistematicamente, se desenvolve da forma como ele é feito.

Uma outra coisa é que dentro da... luz visível, dentro da nossa amplitude de frequências, o que quer que você queira chamá-la - o espectro eletromagnético, quando essas entidades estão dentro dessa realidade, elas comem seres humanos como nós comemos bovinos, ovinos e animais. E isso é novamente uma lenda que remonta ao mundo antigo, dos reptilianos comendo seres humanos, os sacrifícios aos deuses, e tudo isso. Mas quando eles estão fora desta realidade, na própria realidade vibracional deles, eles estão se alimentando da nossa energia, eles estão "vampirizando" o nosso estado energético.

Agora, se vou vampirizar uma fonte de energia, essa fonte de energia deve estar dentro da faixa de frequência com que eu possa manter contato. Se é um rádio 1 e eu sou rádio 2, eu não vampirizo esse, eu tenho que fazer essa ligação. E, então, o que fazem é estruturar a sociedade para manter a humanidade - este não é o único motivo deles fazerem isso, eles fizeram isso para nos manter na faixa de frequência da Matriz da Lua, que funciona, pelo mesmo motivo, dentro desta mesma faixa de frequência de que falo - eles estruturaram a sociedade para gerar o máximo de medo, tensão, frustração, raiva, conflito.

Pois essa energia de vibração baixa e guerras, como guerras mundiais e coisas assim, 11 de setembros, geram enormes quantidades de energia de vibração emocional humana baixa. Eles se alimentam dessas coisas e, então, esse poder, esse alimento é, então, reciclado no sistema de controle.

Mas, a razão disso, quando investiguei quase todos, não todos, mas, quase qualquer um desses grandes nomes Illuminati, isso leva, eventualmente, ao satanismo e, invariavelmente, isso leva a pedofilia... Por quê?


Por causa, novamente, desta vampirização energética. O que esses pedófilos são, na verdade, o que essas elites de pedófilos são - como o pai George Bush e pessoas... Eu o tenho nomeado por anos, Ted Heath, o ex-primeiro-ministro da Grã-Bretanha, e outros malditos sem conta... Aparecem nos noticiários de televisão da CNN e da BBC todos os dias, à propósito, vamos ter alguns choques reais quando esses nomes aparecerem e eles irão - a razão é que eles são entidades possuídas. E na população em geral, onde as pessoas não têm nomes famosos, mas são pedófilos, o mesmo princípio se aplica.

Você tem o nível humano, o híbrido, e eles têm relações sexuais com uma criança - invariavelmente, é  sexo anal, mesmo que seja uma menina. Novamente, um tema comum. E o que se está fazendo? Eles estão se conectando com a criança na área do chakra da base, o ponto de vórtice base do campo energético humano. Enquanto tendo relações sexuais com a criança, a entidade possuidora - fora da visão humana - está tirando aquela energia da criança. Há algo para estes reptilianos sobre a energia antes da puberdade, a energia de uma criança antes da puberdade.

Porque, como todos sabemos, quando se atinge a puberdade ocorre uma mudança química dramática. Do ponto de vista deles, isto tem um efeito sobre o campo de energia da criança que eles não tinham antes, não é tão pura do ponto de vista deles. E, quando você tem esse tema antigo, Bill, de sacrifícios aos deuses, das jovens virgens... jovens virgens é apenas um código para as crianças! Estavam sacrificando crianças! E por causa desta energia pré-puberdade.

E assim, há uma explicação muito clara, uma vez que você veja esse cenário, porque é que tantas pessoas da elite no sistema bancário, na política, e todas estas instituições de elite são satanistas e pedófilas ou um ou outro - geralmente, ambos se você for fundo o suficiente nisso.


E eles estão se alimentando da energia humana, sobretudo se alimentando da energia da criança. E eu li uma passagem num dos livros de Carlos Castaneda - depois que eu entendi tudo isso - onde ele está citando sua fonte xamã. Os livros de Carlos Castaneda vieram nos anos sessenta, neste período, quando ele estava escrevendo sobre os ensinamentos de alguém chamado Don Juan Matus, um xamã da america central.

Algumas pessoas dizem que Don Juan não existia. Eu vou te dizer uma coisa, se ele não existiu, bom, você sabe, Castaneda foi um gênio, porque o que ele colocou na boca dele era incrivelmente preciso. E... Don Juan Matus falou sobre os predadores. Os predadores que vieram de longe do cosmos para assumir a humanidade. E ele fala sobre como eles tomaram a mente da humanidade... citação direta: Deram-nos a mente deles.

Eu digo esse é o modo como eles fizeram isso
[apontando para a Lua]. É assim que eles fizeram isso, é assim que eles estão fazendo isso. E ele também falou sobre o fato de que estes predadores objetivaram o campo de energia pura das crianças e eles se alimentam nele de tal modo que, se você visse uma criança em plena magnificência energética, ela seria um campo vibrante de brilho forte da consciência... O que ele disse foi: se você visse a criança quando ela entra na idade adulta, ela seria um pequeno, minúsculo campo de energia, com praticamente nenhuma luminosidade. E como ele disse: Apenas o suficiente para viver... nada mais.

É isso o que eles estão fazendo e todas estas facetas diferentes de que falamos hoje, todas se encaixam. É uma visão. Há mais para se saber? Você está brincando? Meu Deus, há muito mais para se saber! Eu não estou dizendo que falo de tudo o que há para se saber, de certo que não. Por trás disso tem muito mais estória...

Mas, o que nós estamos começando a fazer, é obter a estrutura na qual isso funciona. E uma vez... Quando você monta um quebra-cabeça - eu acho, enfim, não que eu tenha montado um faz tempo; mas, quando você põe as bordas no lugar, todos os pedaços com as bordas retas, então, você começa a ver com mais facilidade onde as outras peças se encaixarão. E, claro, quanto mais peças são colocadas, você saberá onde esta peça vai porque agora você tem uma idéia muito melhor da imagem e é aí onde estamos agora.

Mas, meu Deus, ainda tem alguns choques e surpresas por vir. Muito mais do que eu já falei hoje.


BR: O que vai acontecer ao longo dos próximos anos?

DI: Veja bem, eu digo que nós estamos no limite entre a  energia da época velha e da nova. E talvez eu possa explicar o que quero dizer por 'como isso funciona'.

O que digo no livro é que os buracos negros - e, aparentemente, tem um no centro dessa galáxia, vejo mais e mais suposições científicas de que, no mínimo, isso aconteça em todas as galáxia; mas, veremos... mas, mesmo assim, isso se encaixa no cenário - que pelo buraco negro vem a frequência ressonante base desta realidade, mas não é estática, ela se move num ciclo, já falarei disso.

Esta frequência base extrai a informação dos sóis em forma de fótons e gera basicamente o que eu chamo de Internet sem fio Cósmica. Assim como nesta sala, se este edifício tem internet sem fio, eu seria capaz de pegá-la num computador sem fios conectando-se a parede e sem fios em qualquer circuito, apenas o computador seria capaz de se conectar com a internet sem fio e mostrar uma realidade coletiva que ninguém no mundo pode - OK, partes da China e outros lugares - podem colocar essa tela da mesma forma.

E digo que a internet sem fio, em nossa realidade, é informação codificada em fótons proveniente do Sol. Também hão outras coisas, não estou dizendo que é tudo, mas, certamente, essa é a base disso, eu diria. E estamos decodificando essa informação nesta realidade. Por exemplo, a energia que os chineses chamam de Chi, que passa pelas linhas dos meridianos, a rede de meridianos da acupuntura do corpo, é energia de fótons. A energia de fótons passa pelas linhas de Lay, sistema de linhas meridianas da Terra. E é informação, esse universo é informação.

Essa é uma informação decodificando a informação, assim como informações codificadas num computador decodificam a informação codificada no software! A informação pode decodificar a informação! Só depende de como está programada... para fazer o que deve fazer! Você é um receptor ou um transmissor, ou você é um decodificador ou um codificador? Ok, isso é o que você é - pressione enter.


Assim, esta vibração vindo do buraco negro, esta vibração do espaço - e haverá mais a saber, mas eu estou... não posso por os temas aqui - pois isso se move através do ciclo de mudança, antes de voltar à vibração original, muda as informações saindo dos sóis na forma de fótons. Está mudando a construção da informação. Portanto, começamos a decifrar, enquanto se move ao longo do ciclo, uma informação diferente. E é isso que cria as épocas, que a cultura indiana chama de "Yugas", e essa natureza circular do tempo.

Não é realmente uma... não é realmente circular no sentido de... construção de base, que é essa vibração da informação de que falo. Essa vibração está acontecendo no agora, o único momento que existe - o agora. Ela não sai do agora, ela só vibra, é apenas... a vibração muda no agora.

Mas, como a decodificamos e a colocamos em sequência, etc, parecemos estar nos movendo do passado ao presente e para o futuro. Mas na verdade essa é uma informação vibratória no agora, é só isso que ela muda. E, quando a descodificamos nossa percepção é o movimento do que chamamos de tempo.

E, porque a vibração passa por um ciclo, voltando depois à vibração original, manifestamos o que eu chamei no passado de Ciclo de Tempo. Um Ciclo de Tempo aparente, onde passamos por um período de experiência e, então, nos reanimamos para recomeçar de novo. Estes períodos são quebrados - por causa da mudança vibracional, portanto, a informação obtida sob a forma de fótons, a Internet sem fio mudando em épocas.

Algumas são muito reprimidas e muito limitantes, isso é uma experiência para a consciência ter, às vezes elas são muito expansivas, estas são as Idades de Ouro. Escolhemos, como consciência desencarnada, quando vamos nascer, qual destas épocas queremos experimentar. Porque entramos e experimentamos um certo período, como percebemos o tempo, depois saímos, então nós percebemos o tempo como indo do passado ao presente ao futuro, mas, na verdade, se nos mantivessemos dentro dela, ela iria voltar para o começo.

Mas, claro, além disso está sendo impactada por como aqueles, interagindo com este jogo de computador de Ciclo de Tempo, também estão postando o conhecimento, a experiência, a informação na Internet. Porque a Internet muda como os blogs das pessoas é um exemplo. Então, por isso, é uma coisa interativa, mas eu diria que esta é a base da coisa, a fundação de base. E é simplesmente um jogo cósmico. Portanto, não leve muito a sério, é um jogo cósmico.


E nós já passamos - a humanidade - e estamos num período muito desafiador no jogo cósmico. Mas, como eu já disse muitas vezes, não há um AK47 na mão de alguém em outra dimensão dizendo: Conscientize-se, vamos, ali, agora, ou eu vou atirar. Optamos por esta experiência.

Agora, através da lente do corpo físico, quando a nossa expansão da consciência se concentra, a atenção está focada em uma realidade - como estamos vivenciando esta realidade agora, achamos que é físico - então, nós estamos tentando entender por quê tomaríamos essa decisão, ou mesmo, se alguém poderia ser louco o suficiente para pensar que tomamos essa decisão de estar aqui, agora e experimentar isso, quando o nível de nossa consciência que toma a decisão estava além deste mundo e além dessa limitação.

Assim, o nível de experiência está tentando descobrir o que está acontecendo, quando a escolha foi feita por um nível muito mais elevado de consciência. E quanto mais expandimos nossa consciência, abrimos a nossa mente  e poderosamente contatamos este nível, mais entendemos por quê fizemos a escolha. Porque nós fizemos uma escolha.

É como no filme Matriz onde o Oráculo diz a Neo: Você não veio aqui para fazer uma escolha, você já fez a escolha, você veio aqui para entender por quê você fez a escolha. E é isso que esse nível de experiência está sendo desafiado a fazer. Eu diria que a maioria esmagadora, nós fizemos a opção de experimentar     
este período extraordinário de transformação, de limitação, de supressão, de controle, de violência e tudo isso - de conflito, e ver um período totalmente novo, expansivo, pacífico, amoroso, multinível ligado a realidade que vai seguí-lo.

Eu acho que escolhemos muito bem, eu acho que é uma época fascinante. Não vamos levar isso muito a sério, embora, você sabe, há uma série de desafios em andamento, mas, quanto mais sério o tomarmos nos próximos anos - e de volta à sua pergunta sobre o que vai acontecer - mais desafiador será. Se mantivermos o nosso senso de realidade puramente nos cinco sentidos como a grande maioria, a esmagadora maioria tem feito até este momento, ao longo deste período, isso vai ser muito, muito difícil.

Mas, se formos: Espere um segundo, eu não sou Jones - Eu não sou Ethel Jones e Charlie Smith, eu não sou nem mesmo David Icke! Não sou... Não sou o David Icke - não é meu nome, no grande esquema das coisas, é o nome da minha experiência neste... momento.

Então, se nós extrairmos nosso ponto de observação daí, do eu sou uma consciência infinita e David Icke - Ethel Smith - Charlie Jones é a minha experiência, assim, superando este período desafiador entraremos... será muito mais fácil, porque teremos uma perspectiva totalmente diferente do que está acontecendo.

Nós não vamos ficar sentados em frente ao computador jogando um jogo nele e pensando que somos o jogo. Nós percebemos que estamos jogando o jogo e, portanto, é apenas uma experiência na eternidade de quem somos. Isso muda completamente o ponto no qual observamos o desafio e nós observamos os transtornos e as coisas acontecendo que nós prefeririamos que não acontecessem, se você não se importa.

Mas, o que eu sinto, Bill, é que agora estamos vendo as Vibrações da Verdade impactando mais e mais a si mesmas, nesta realidade. Não ainda nos governos e nas coisas desse tipo, porque eles estão... o fato de que eles estão fazendo o que estão fazendo, eles estão muito mais em uma situação densa de mente dominada, pois eles ainda estão conectados com a energia da época velha.

Então, eles não estão recebendo as Vibrações da Verdade. Tal que o nível de consciência, o sistema de controle como o percebemos - o sistema bancário, a política e todo o resto, os militares, o controle da mídia - eles tentarão empurrar mais e mais e mais controle, no desespero para manter o poder que eles tiveram.

Mas, ao mesmo tempo, mais e mais e mais pessoas - nós estamos vendo isso, meu Deus, vemos isso por todo o mundo, meu Deus, a velocidade com que isso está acontecendo! - Mais e mais pessoas estão abrindo as mentes daquela densidade de uma vida inteira e elas estão se conectando as Vibrações da Verdade, esta construção energética nova, e estão vendo o mundo e a si mesmas de uma forma completamente diferente.


Agora estamos neste ponto onde os dois, se me permites, não lutam... Eu odeio a palavra "luta". Eu odeio a palavra "odeio", chega a esse... Você pode odiar essa palavra - odeio? Isso é um pouco de uma... mas, sabes o que quero dizer. E... mas, há uma disputa entre o que está despertando e o que está tentando ficar parado. E, simbolicamente, é como alguém de pé num rio que está indo mais e mais rápido: Eu não estou me movendo! - O sistema de controle e, eventualmente, você está gastando tanta energia só para ficar parado, então, você nunca pensou no que aconteceria. Se o rio começa... continua indo cada vez mais rápido, então, eventualmente, ele vai te levar - esse é o sistema de controle indo embora.

Mas, se entrarmos na bóia ou na canoa e descermos a água branca num passeio, que levará uns poucos anos, então, você sabe que podemos... pode ser uma aventura, porque é apenas uma experiência, somos tudo o que é, o que foi e sempre será - tendo uma experiência. Não me importo se você varre as ruas ou se está sentado aqui falando como eu, ou se está dirigindo um ônibus ou... Não sei, gerenciando um banco! É uma experiência!

Somos todos consciência infinita, possibilidades infinita. E se observarmos o que acontece agora e o que vem dessa perspectiva, isso será muito mais fácil, um bocado mais suave. Mas o tempo, à medida que avançamos... Eu acho que 2012 é uma... não é uma final, ah, distração, mas acho que é uma distração. É uma distração porque as pessoas estão se concentrando naquele ano e, quando você se concentra em algo assim, o sistema de controle pode manipular para te puxar para dentro.

Talvez eles tenham alguns eventos planejados para concentrar as pessoas: Ah, é 2012! Ah... essas coisas. Mas é significativo, 2012, no sentido de que não é 2011. Porque essa mudança de vibração está ficando cada vez mais poderosa, cada vez mais impactando a percepção humana, e será mais impactante em 2011, mais e mais impactante em 2013, mais em 2014 e, finalmente, há um ponto de inflexão.

Há um ponto de inflexão onde a força irresistível - o sistema de controle, que pensa que é mas não é. ... Dito de outra forma
[ri]: objeto imóvel, sistema de controle impactante em 2012; mas, [ri] - pensa que é, mas não é; a força irresistível [move para um plano mais elevado], Vibrações da Verdade - é que são. E vemos isso acontecer [tomba as duas mãos/forças]. Nós vemos isso acontecer agora, estamos vendo isso acontecer cada vez mais.

E eles chegaram a um ponto, não amanhã, mas, também, não há muitos anos de agora, onde isso acontecerá
[tudo rolando abaixo]. E nesse ponto, a construção da consciência da informação energética dominante desta realidade será as Vibrações da Verdade. E isso passará para as vidas de nossos filhos e netos.

E no final das vidas deles, que será mais longa por causa da mudança energética em que viverão se comparada com este cisma - que é uma das razões dos seres humanos... viverem como mergulhados... Quero dizer, quando falam no mundo antigo, sobre as pessoas vivendo vidas muítissimo longas - elas costumavam! Eles não estão brincando - porque a situação energética que estavam vivendo era diferente.

Então, quando nossos filhos e netos chegarem ao fim da vida, você e eu estaremos assistindo, sem corpo, de outro nível da realidade, e nós vamos
[bate palmas três vezes]: Missão cumprida. E é por isso que estamos aqui. Então... [alegre, para a câmera]: Vamos logo com isso, não é?!

BR: Esse é um resumo muito bonito. [eles riem] Ao mesmo tempo que estaremos lançando esse filme, iremos lançar uma conversa maravilhosa ad hoc que você teve com Jordan Maxwell...

DI: Jordan, é.

BR: ...e Jordan estava apresentando um ponto de vista que é válido - acho que você e eu concordaríamos com isso - que há realmente uma operação militar em curso aqui, entre as chamadas forças do bem e as do mal, e muitas pessoas foram apanhadas no fogo cruzado ou são peões no tabuleiro de xadrez ou qualquer metáfora que você deseje usar e seja qual for o papel, podemos considerar-nos estando em algum lugar nessa mistura.

E Jordan, Deus o abençoe, focou-se na realidade concreta deste campo de batalha dizendo: Você quer saber, vamos todos ficar cheios de buracos de bala, se não nos cuidarmos e nós estamos em apuros. E imagino se você poderia falar sobre isso porque há algumas pessoas, muitas pessoas assistindo a este vídeo, que ainda acham: Você quer saber? Estamos em apuros, porque eles realmente estão fazendo essas coisas. Eu sei que você... e, portanto, temos que ser resgatados por forças que são tão fortes como as do chamado lado escuro que estão tentando nos manipular e controlar, para proveito próprio.

Você falou disso em certo grau, bastante, nesta conversa que estamos tendo agora. Poderias dizer algo mais sobre este ponto crucial, sobre por quê é que este ponto de inflexão poderia ocorrer sem que o mundo inteiro de sete bilhões de pessoas pegasse em armas e criasse tumultos nas ruas, porque isso não é a resposta, não é?

DI: OK, se você pensar sobre a construção energética que nós tivemos durante esse período, a resposta ao perigo, a resposta ao ataque foi: Dê-lhes o que eles estão lhe dando. E nós o chamamos de guerra, nós o chamamos de tumultos e assim por diante. Onde isso nos levou? A lugar nenhum. Quando você revida você se iguala ao agressor. Você sabe que se você revidar agressão com mais agressão isso nos leva ao que você... se você revidar agressão com agressão, o que você vai conseguir? Duas vezes a agressão! Ah, agora nós mudamos, não foi; ei, o mundo é um lugar melhor!

E é por isso que quando vejo coisas como motins por causa das economias e coisas assim - como vimos na Grécia e em outros lugares e veremos mais, não há dúvida - é uma tal... é como uma confirmação da ignorância de como as coisas são, você sabe, nós somos puxados para estados de baixa vibração por esse sentimento de que é preciso LUTAR! TEMOS QUE LUTAR PELA PAZ! Eu amo essa frase...

- Vamos bombardear Bagdad com bomba de pimenta e trazer a paz, não é?!

- Seu idiota! Você é um político, não é? Sim, eu sabia que você era, sim.
... Isso leva-nos ao estado de baixa vibração e nos leva para o estado vibracional muito real que o sistema de controle quer que estejamos. Quando você pensa sobre isso, mesmo no nível físico, eles não estão preocupados com tumultos, na verdade é uma coisa boa do ponto de vista deles, porque eles podem, então - problema, reação, solução - justificar uma imposição maior do sistema de controle em termos de violência, equipes da SWAT e policiais armados e trazer os militares as ruas, você sabe: Muito obrigado! Você acabou de dar-nos o que precisamos para justificar isso.

Eles também não têm medo de protestos. Você sabe, na preparação para a guerra do Iraque tivemos - estimou-se - um milhão de pessoas nas ruas de Londres. O que aconteceu? Eles invadiram o Iraque! Eles... Você sabe... Ah, eu fiz a minha parte protestando. E então, você sabe, você pode protestar e pode se sentir bem consigo: Eu disse a eles! Pelo menos eu protestei.Vamos para o bar e ter uma conversa sobre como foi bom! E a seguir, o que podemos fazer; então, o que podemos, mais tarde, fazer é ligar a televisão e os assistir invadindo o país pelo qual protestamos contra essa invasão -  você sabe.

Do que eles estão apavorados não é com a violência, não é com revolta, não é com protesto nas ruas - não  digo que não faça isso, mas eles não têm medo disso. Do que eles têm medo é da não cooperação, pois temos que voltar a esta coisa dos números o tempo todo. O número de pessoas que estão em pleno conhecimento - na realidade física, como a chamamos, e no sistema de controle nos reinos não humanos - o número deles tendo plena consciência do que estão fazendo, em comparação com a população global de sete bilhões de pessoas, é minúsculo.

Quero dizer, minha estimativa ao longo dos anos... Eu tive uns leves indícios aqui e ali como que
me empurrando nessa direção, é que estes descendentes híbridos - e nem todos estarão conscientes de quem eles são; eles podem ser manipulados para agir e pensar de uma determinada forma, mas eles não estão cientes de que isso é o que está acontecendo, eles acham que estão tomando as próprias decisões tão desagradáveis quanto elas possam ser - isso é cerca de quatro ou cinco por cento da população.

Então, quando você olha para isso, você sabe, eu acho que vejo uma saída para isso. Olhe para a China, é um exemplo maravilhoso. A China em muitos aspectos, Bill, é um modelo para a sociedade global, onde você tem os servos e os escravos e, em seguida, você tem o sistema de controle e não há liberdade, as informações são editadas, a internet censurada - tudo isso, nós sabemos com o que a China se parece. Então, você olha para os números.

Quer dizer, eu não sei se era algo entre um ponto cinco, talvez mais de dois bilhões de pessoas agora, ou mais pessoas na China. Grandes números sejam eles quais forem, números incrivelmente grandes. O número de pessoas que controlam esses grandes números é minúsculo! Vimos um homem, vimos um homem - maravilhoso o que ele fez - em pé na frente do tanque, o homem tanque, famoso, foto famosa. Claro, isso deu uma grande imagem, isso deu: Ah, que homem corajoso, não é maravilhoso? - E então, provavelmente, ele desapareceu e nunca mais foi visto novamente. E se houvesse um milhão de pessoas na frente dos tanques deles?


E se nós... Quando um grande número de pessoas têm as hipotecas executas porque os bancos causaram uma situação econômica onde as pessoas perdem os empregos porque as empresas vão à falência e, em seguida, os bancos que causaram o problema vêm e dizem: Você tem que sair de sua casa, porque estamos executando a sua hipoteca. Quero dizer: Me desculpe! O que estamos fazendo saindo de nossas casas quando as pessoas que estão nos jogando para fora são as pessoas que causaram a situação pela qual não podemos pagar a hipoteca e é por isso que estamos sendo desapropiados? Olhe para esse ciclo!

E nós, como raça humana, apesar do grande número que somos, estamos indo embora?

Você sabe, parte dessa coisa Matriz da Lua, parte desta mente-colméia Matriz da Lua, é... e este é um outro aspecto, quero dizer, você sabe, os cientistas de cérebro vão te dizer, este é outro aspecto do sistema de comportamento do cérebro reptiliano: é que ele sabe o lugar dele. O cérebro reptiliano é muito, muito hierarquizado. Quer dizer, você tem no topo da hierarquia - o cérebro reptiliano - mas, também há a parte inferior da hierarquia - Eu sei o meu lugar. Também é cérebro reptiliano, apenas numa expressão diferente dele.

Esta estrutura hierárquica de poder de cima para baixo, onde poucos estão no topo e os restantes, na parte inferior, são explorados pelos de cima, isso é característico do cérebro reptiliano e do medo da autoridade. Eu estava lendo um artigo, em que alguém estava discutindo o cérebro reptiliano e estava dizendo que as pessoas, instintivamente, muitas pessoas, enfim, podem sentir-se, instintivamente, intimidadas quando uma autoridade de algum tipo entra na sala, seja o patrão ou o que quer que for. E eles diziam - isso vem do cérebro reptiliano. E, muito engraçado, nesse interim, eu estava lendo um artigo sobre uma famosa atriz britânica, que é muito, muito anti-família real, não acredita nessa instituição. Ela estava numa recepção e ela declara neste artigo: Eu sou anti-família real e coisas assim, ela disse. Então, a rainha veio ao nosso grupo para dizer olá, ela dizia, e eu estava num nervosismo total. Você sabe, como intimidação: Ah, é a Rainha! E esta é uma mulher que, em outra situação,absolutamente, diria: Ah, a maldita Rainha! Nós não deveríamos ter uma instituição real e coisas assim. Esse é o cérebro reptiliano ativo, é isso que eu quero dizer.

E o que faz, isso faz um grande número de pessoas submissas à autoridade. E, quando as populações em geral são condescendentes ou temem desafiar a autoridade, então, a autoridade por definição é a seguinte: Ah... OK. O sistema de controle está no lugar.


E, uma das grandes manifestações disto é: Você não deve violar a lei. OK, tudo bem, vamos seguir isto, não é? Esses caras, em ternos pretos e etc, estão fazendo leis que você não tem nenhum controle. Sim, está bem. Então, eles fizeram leis que você não tem nenhum controle, porém você diz: é a lei, portanto você tem que obedecê-la. Sim, certo... então, para onde vamos daqui? Vou lhe dizer o que faremos - você coloca suas mãos para frente e eu vou colocar as algemas e depois vamos até o bar - porque é isso que você está dizendo.

Assim, se uma lei não respeitar a liberdade humana, se não respeitar a justiça humana, se não respeitar a justiça, se não é sobre mudanças benéficas na sociedade, mas sobre a imposição de modo que poucos possam controlar a muitos, se não respeitar liberdade e justiça, ela não deve ser respeitada! O que estamos fazendo?

Quando você diz às pessoas: Não é possível violar a lei... Ok, aí vamos nós... Na verdade, nós estamos chegando perto disso agora, se você olhar a situação que está se desenvolvendo - fiz todo um capítulo no livro chamado de Stealing the Children ( Roubando as Crianças). E se eles mudassem, se eles fizerem uma lei dando ao Estado o poder de tomar seus filhos - que é o que eles realmente querem, eles estão no processo de fazê-lo - você os obedeceria? Bom, não. Ah, então nós... Ha, ha, nós encontramos uma falha aqui agora.

Há, então,
um limite que você cruzará, quando a lei fizer tanta imposição que leve seus filhos para longe. Então, o que todos nós temos que considerar é - teremos esse limite onde nós resistiremos? NUNCA MAIS! No ponto em que - baterem na porta - Queremos seus filhos, por favor, o carro já está aqui...

Ou vamos movê-lo para aqui, onde nós estamos dizendo: Tudo o que afete a minha liberdade básica e as liberdades fundamentais de outrem, qualquer coisa que influencie injustiça na minha vida e na vida dos outros... porque, se pensarmos que os problemas dos outros não são os nossos problemas, isso é dividir para conquistar e vamos embora, eles nos dominaram.

Se conseguirmos mudar isso e dizer: Nunca mais! Então, toda dinâmica começa a mudar.

Porque o que eles estão fazendo por todo o mundo, não apenas na Grã-Bretanha, eles estão de forma muito demonstrável introduzindo leis cada vez mais ultrajantes em toda a sociedade, indo a pormenores da nossa vida como onde e quando colocamos as nossas latas de lixo na rua e coisas assim. E, se não encontrarem resistência, então, eles dirão: Não há resistência? Ok. Vamos fazer mais bobagem, mais imposição, atuar em mais detalhes da sua vida. Nenhuma resistência? Mais ainda!

Então, senhoras e senhores, nós temos que começar muito em breve - que tal ontem - colocando um limite, coletivamente nos unindo, onde deixemos de lado isso... essas linhas de fraturas - linhas de fraturas fabricadas, divididas e dominadas - em religião, raça, nível social, país, linhagem e todas essas "merdas", e ficamos juntos e unidos no que todos nós somos fundamentalmente afetados - e isso é a destruição da liberdade humana.

Porque isso não é uma conspiração para escravizar o povo judeu ou povos islâmicos ou os americanos de classe média, ou nada! Os sul-africanos ou qualquer outra coisa. É um plano para escravizar a todos nós. E se não nos unirmos, se permitirmos ser divididos e governados, então, você sabe, a época está mudando de qualquer jeito, mas a natureza da mudança vai ser muito mais desafiadora e muito mais desagradável do que precisa ser se nos unirmos agora e dissermos: Agora, malditos, chega!

Porque quando fazemos isso, nós produzimos essa resistência, então, o movimento deste sistema de controle que ataca cada vez mais as nossas vidas deve parar! Mas nós não vamos resistir a isso! Estamos lamentando isso! Algumas pessoas estão resistindo, mas estamos lamentando isso: Ah, o grande irmão (big brother), ah meu Deus, em que o país se tornou? ... O que passa na televisão, querida? E isso é tudo!

O caso é, não é o "Big Brother" que está trazendo o sistema de controle. É o "eu pequenino" que permite que ele seja trazido! O Big Brother é impotente sem a percepção em massa do eu pequenino. ... E sou unânime nisto!
[ri].

Clique aqui para a apresentação em vídeo





Suporte o Projeto Avalon - faça uma doação:

Donate

Obrigado por sua ajuda.
Sua generosidade nos permite continuar nosso trabalho.

Bill Ryan

bill@projectavalon.net


unique visits

Google+