Busca

Futuretalk 5: Hora da Verdade

Bob Dean, Henry Deacon, Alfred Webre:

Transcrição da Entrevista

Esta página é uma reformatação da versão original publicada no Projeto Camelot.


Projeto Camelot Futuretalk 5: Hora da Verdade

Barcelona, Espanha, 26 de julho de 2009



Bill Ryan (BR): Somos Bill Ryan e Kerry Cassidy do Projeto Camelot e a data é... nunca podemos conseguir a data certa! Qual é a data?

Kerry Cassidy (KC): Hoje é 26.  

BR: Dia 26 de julho de 2009. Estamos na Reunião de Cúpula Exopolítica em Barcelona, Espanha, e é nosso grande privilégio pessoal, devo dizer... Eu quero pedir a Kerry para adicionar, num momento, à minha introdução aqui. Eu estou introduzindo, Alfred Webre, que jamais apareceu diante das câmeras com a gente antes. Alfred, é um privilégio estar falando com você.

ALFRED WEBRE (AW): Obrigado.

BR: Eu fui um admirador seu por muitos anos. Bob Dean, que se tornou um amigo muito íntimo ao longo dos últimos anos e ele nos culpa inteiramente por sua popularidade recém-descoberta entre todas as moças do mundo que estão seguindo Exopolítica. [Kerry ri]

BOB DEAN (BD): Que vergonha.

BR: É você ou Sean Connery. Ele só não está mais disponível.

KC: Tudo bem, com certeza.

BR: E, brincadeiras à parte, queremos introduzir alguém que temos apresentado ao mundo durante os últimos três anos, alguém que nós também conhecemos e amamos muito e que se tornou um amigo pessoal há mais tempo ainda que Bob.

O chamamos de "Henry Deacon", que parecia uma boa idéia na época. Eu não posso nem começar a chamá-lo de seu verdadeiro nome, porque eu nem me lembro, porque, para mim, ele é sempre Henry. E Henry é inteiramente com você se você quiser revelar seu nome novamente.

‘HENRY DEACON’/ARTHUR NEUMANN (HD/AN): Eu só vou dizer que meu nome é Arthur [Arthur Neumann].

BR: O nome dele é Arthur. Ok. Você quer ser, isto é uma questão séria, quer ser conhecido como Arthur ou Art?

HD/AN: Sim, apenas Arthur, obrigado. Estou cansado do tal de Henry.

BR: Você está cansado do tal de Henry. Henry está morto. Viva Arthur.

HD/AN: E Camelot. 

BR: E Camelot, exatamente. Tem algo a ver com Rei Arthur.

KC: Veja, ele roubou o seu nome. Lá vai você... nesta vida.

BR: Eu estou tomando um tempo precioso aqui... porque estamos com tempo limitado, porque Bob está em demanda, como já disse, e ele tem que correr para o próximo compromisso.

Uma das razões por que essa é uma conversa importante é porque ontem à tarde na Reunião de Cúpula Exopolítica, quando Bob Dean estava dando o que eu coloquei no nosso site e descrevi como a mais magnífica apresentação em qualquer conferência sobre UFOs que eu já ouvi, e eu vou dizer isso de novo na gravação. É fabuloso e você estará ligado a isso aqui.

Ele estava afirmando a realidade de bases na Lua e Marte e mostrando-nos fotografias que nunca foram mostradas antes, pelo menos, tão longe quanto eu estou ciente, e é um testemunho extremamente importante. Em um minuto Bob dirá as pessoas, tenho certeza, como ele se sente agora que ele está "sob ordens" de alguém, em algum lugar, para falar como ele nunca falou antes. Nós o saudamos por isso. Isso é uma coisa muito corajosa que você está fazendo e isso é extremamente importante.

Uma das coisas que une as três testemunhas que nós temos aqui, podemos chamá-los de testemunhas é algo que poderíamos chamar A Conexão Marciana e com isso, eu vou entregar a Kerry, porque eu já estou falando demais. Kerry...

KC: Ok, bom, apenas espere um segundo. Vamos deixar Arthur...

HD/AN: Só uma coisa muito simples, antes que saia da minha mente. Eu estava sentado na platéia durante a conferência e o cinegrafista estava perto de mim e algo surgiu na notícia que estava no C-Span que lhe enviei, e eu só queria lembrar isso. Foi que um dos astronautas estava falando sobre isso também.

KC: Buzz Aldrin estava falando sobre ter o que foi a...

HD/AN: Um monolito em uma das luas de Marte.

KC: Um monolito na lua.

HD/AN: E isso só apareceu nos últimos dois, três dias.

KC: Na Lua?

HD/AN: Não, em Phobos.

KC: Ah. Em Phobos, a lua de Marte, certo. Ok. E você sabia disso, né?

HD/AN: Bom, não, eu não estava ciente disso. Não.

KC: Você não estava?

HD/AN: Eu não...

KC: Mas você nos contou sobre um monólito em certo momento. Você se lembra disso?

HD/AN: Sim. Eu disse. Hum hum.

BR: Esse foi um monólito diferente. Eles estão por toda parte.

KC: É isso aí. [Ri]

HD/AN: Eu esperava que você tivesse a chance de ver Arthur Clarke há vários anos.

KC: Ah, nós desejamos!

HD/AN: Mas, simplesmente não deu certo.

BR: Não deu certo.

KC: Na verdade, é interessante você falar dele, porque acabei de falar com outro denunciante, esta manhã e ele conhecia Arthur Clarke também, então, vocês dois têm algo mais em comum.

HD/AN: Hum hum.

KC: Ok, então, aqui estamos. Sou Kerry Cassidy, este é Bill Ryan. Somos o Projeto Camelot, para aqueles de vocês que não sabem, e isso será apenas uma conversa aberta. O que nós queremos fazer é falar sobre o futuro, porque o que isto realmente é, é o que chamamos de Futuretalk (Conversa do Futuro). É uma conversa. Isso significa que Bill e eu  faremos algo realmente irritante - vamos falar de vez em quando, mais do que o normal.

Mas, nós realmente queremos ouvir de vocês. E o que nós gostaríamos de falar é sobre as visões de vocês do que virá no futuro, num futuro relativamente próximo, de preferência, mas vocês podem ir tão longe quanto vocês quiserem. E por que não começamos com Alfred Webre?

AW: Ah, muito obrigado. Bom, eu vejo o futuro como sendo moldado por duas forças fundamentais, talvez três. Um é uma série de ciclos cósmicos, que estão sincronisticamente acontecendo durante o ciclo solar 24, que vai de 2009-2020, com o máximo solar estando por volta de 2013... 2012-2013.

Dois, o Tempo de Aceleração da Matriz, que é uma adaptação do calendário maia, tal que à medida que avançamos em 2011, o buraco negro no centro da galáxia, que realmente é mediador de uma grande quantidade de nossos pensamentos, estará deslizando para a Consciência Universal, não-dualismo.

E, finalmente, o que algumas pessoas chamam de "engenharia genética Galática." Esse é o poder do buraco negro no centro da galáxia realmente entrando em ação para ativar nosso ADN, noventa e sete por cento dele, eu entendo, não está ativo, agora eles o chamam de "lixo".

BD: Eles chamam isso de lixo, mas não é lixo.

AW: Sim, exatamente. Portanto, estas são as coisas elevando a capacidade não só dos seres humanos, mas de todas as coisas vivas, para uma nova frequência, um novo entendimento, um novo tipo de contrato social, se você quiser colocá-lo dessa maneira.

KC: É, e acho que, Arthur, você poderia, talvez, falar disso porque você pode ter um diferente... Eu não sei se você se denomina um físico oficialmente.

HD/AN: Não, não.

KC: Mas, você certamente tem alguma especialidade nessa área.

HD/AN: Bom, eu não tenho especialidad. Mas, em algumas das coisas que você falou, você tirou algumas das palavras da minha boca, então você já disse algo que eu teria dito sobre tudo isso, bem, como David Wilcock está falando. Ele está fazendo um filme chamado Convergência e é isso que está acontecendo. Todas essas coisas diferentes estão apenas convergindo.

Eu estava olhando para uma criança ontem, uma menina, e vendo seus olhos e eu só... Eu podia ver a diferença, você sabe, das próximas gerações. Você pode vê-lo, mesmo em alguém, talvez, de 20 anos, que já está muito avançado, conscientemente avançado.

BR: Arthur, quando nos encontramos pela primeira vez, que foi há quase três anos, lembro-me muito claramente que esta foi uma das primeiras coisas que você nos contou. Você disse que o problema crucial agora é que tudo está acontecendo ao mesmo tempo ou quase.

HD/AN: Sim.

BR: Você pode delinear, pode listar, quais são os fatores que estão acontecendo ao mesmo tempo? Assim as pessoas saberam o que estamos procurando.

HD/AN: Bom, os fatores físicos já mencionados. Os fatores cíclicos, ciclos muito longos e curtos, o efeito da estrela, o Sol, aqui... as mudanças espectrais no Sol, e coisas que eu acho que não pode ser medidas. Eu não sei. Para mim, é um tipo de sentimento intuitivo e não uma coisa científica. Eu não tenho certeza.

BR: Mas, há coisas de que você foi informado.

KC: Bom, você já falou do ambiente. Você falou sobre o que foi planejado em termos de vírus que foram plantados ao redor do mundo, uma espécie de bombas-relógio de uma certa forma. E você também falou sobre um desenrolar que afetaria nossa economia, etc, etc.

HD/AN: Bom, estes são diferentes das mudanças... Ok, eu mencionei Novelty Theory (Teoria da Novidade), que o falecido Terence McKenna, que morava na Grande Ilha do Havaí, acredito. Ele falou que tinha, acho, um cálculo para isso e que a equação matemática podia ser encontrada na internet, eu acho. E você pode ver que isso vai abaixo de zero em 2012, aproximadamente, do que me lembro.

KC: E isso significa o quê? Essa novidade indo abaixo de zero?

HD/AN: Bom, a Novidade. Torna-se mais nova, na minha opinião.

KC: Ok. Isso é o que eu estou perguntando.

HD/AN: É. Para mim, isso significa mais novo... bom, novo para mim, significa - eu riria, você sabe, com isso, mas não é - eu não tenho palavras. Eu não tenho a capacidade de colocar as coisas em palavras como alguns destes senhores fazem, por as coisas em palavras.

BR: Deixe-me interpretar isso para você, então você pode conferir a minha reflexão.

HD/AN: Tudo bem.

BR: Eu li um livro chamado O Choque do Futuro de Alvin Toffler muitos, muitos anos atrás, que disse que a taxa de mudança está se acelerando.

HD/AN: Ah, sim.

BR: Então, você tem uma mudança logarítmica aqui, tal que tudo está começando a mudar.

HD/AN: Exatamente.

BR: E como existem estatísticas, que não posso citar de improviso, mas é como se 99 por cento de todas as inovações na história da humanidade aconteceram no ano passado.

HD/AN: É.

BR: Ou algo parecido. E a coisa toda está indo na vertical.

HD/AN: A minha sensação é que, desde de dois meses atrás, só porque não há marcador direto, então, talvez, a dois meses atrás, quando eu comecei a me desligar da morfina após quatro anos...

BR: Por que? Você estava usando morfina porquê..? Só para registro.

HD/AN: Eu não sei como dizer isso. Eles não podiam chegar a qualquer teste de laboratório que fosse conclusivo, por isso foi por exclusão, e eles disseram que era apenas uma neuropatia periférica e exaustão. Mas, isso tudo aconteceu de repente quando eu deixei meu último trabalho secreto, apenas coincidiu com isso. Qual era o problema, ninguém sabe, há alguns "chutes".

BD: Não é uma coincidência interessante?

HD/AN: Sim.

KC: Eu ia dizer: que coincidência!

HD/AN: Mas, quando eu disse adeus e fui embora, de repente, ao invés deles me controlar, e, em seguida, eu tive esse choque, choques no meu sistema.

Mas, a coisa é, a cerca de dois meses, algo em meu subconsciente... Apenas esperei pacientemente, basicamente, na cama, nesse quarto por três ou quatro anos com dor extrema, gritando de dor quase e Bill tentou me empurrar em uma cadeira de rodas uma vez. Mas, eu pensei: Basta ter paciência. Seja paciente, e, usando a mente, eu passei por isso. todos os dias...

Então, há dois meses, algo me disse: Você tem que parar com isso. Ninguém mais vai afastá-lo deste medicamento. Então, fiz uma planilha de todas as horas do dia que eu o estava tomando, porque perdi a conta de quanto eu estava tomando. Eram cerca de 180 miligramas de morfina, provavelmente, por dia. Isso estava fora de controle. E, então, algo disse: Você precisa parar agora... e eu não desejo isso para ninguém.

Mas, deixei devagar e em dois dias, aproximadamente dois dias antes, de repente, a Conferência de Zurique aconteceu, que foi a uma semana atrás? Eu tinha acabado de me desintoxicar e não sabia se viria à conferência. Simplesmente aconteceu. Então, foi em tal momento, que foi uma mensagem para mim, sim, agora é a hora em que tudo realmente começa a se mover rapidamente.

KC: Arthur, eu tenho que dizer, na verdade, que eu concordo com você, a dois meses atrás parece que aconteceu uma transição. Não há nada definido em termos das notícias, mas houve uma sensação de que as coisas começaram a escalar, quase rolando morro abaixo mais rápido. Esse foi o sentimento que eu tive e é interessante você dizer isso. E você veio, você veio como que acordar e começar esse tipo de movimento que o colocou no palco duas vezes.

HD/AN: Mas, algo... alguma coisa aconteceu, para algo que era incurável... apenas, de repente, eu estou voltando ao normal.

AW: Do ponto de vista da Aceleração de Tempo da Matriz, que seria o sexto dia da Era Galática, e, nessa janela especial, que vai de novembro de 2008 a novembro de 2009, hão muitos, muitos tipos de avanços.

Assim, se todos nós estamos sentindo essa sensação geral de avanço em nossas vidas individuais, que podem ser provenientes da programação emitida pelas emanações eletromagnéticas do buraco negro no centro da galáxia que os Maias chamam Hunab-Ku, que é o centro de todas as coisas.

Eu vejo - e isto para pedir em especial a Bob Dean e Arthur, porque eles lidam muito com a área de sigilo - encontro-me como alguém que não veio na cultura do segredo, mas vejo o sigilo como uma das mais poderosas forças entre a Cultura Aberta e esta civilização separatista que é a Civilização Secreta.

Eu achei que um dos aspectos de maior elevação da consciência, para mim, é ouvir os segredos, tais como os corredores de teletransporte para Marte, como as posições avançadas em Marte, os portais estelares na Austrália. Apenas começar a conhecer todos esses programas secretos é realmente uma expansão da consciência.

KC: Bom, exatamente. Informação... Refiro-me à informação em si, apenas ouví-la, como o que aconteceu a estas pessoas ontem no palco, quando você estava mostrando fotografias que foram realmente revolucionárias, porque foram escondidas por tanto tempo. E, então, ter uma pessoa que realmente subiria no palco e diria: Eu fui a Marte e aqui estou eu - um ser humano. Isso foi, creio eu, uma expansão da mente para o público de uma forma que não seremos capazes até mesmo traçar.

BR: É histórico, não?

KC: É. E, obviamente, eu nem sei se isso irá ao redor do mundo, exceto que, Camelot fará a nossa parte, certo? Mas, este é o tipo de coisa que muda a consciência. E uma das coisas que eu tenho a dizer é que a consciência muda drasticamente, de repente. Não é como um lento e gradual... isso vai crescendo, crescendo e, pelo que entendi, a mudança realmente acontece assim [faz gesto com a mão de giro de 90 graus para cima].

HD/AN: Bom, mesmo maior e mais rápido do que logarítmica, é meu sentimento.

BR: A etapa muda.

HD/AN: Bem, eu não sei se a etapa muda ou não. Eu não sei se é assim ou não. Mas isso... digitaliza ou não.

KC: Então Bob, o que você diria? Porque você tem uma espécie de visão um pouco mais pragmática, me corrija se eu estiver errada, junto com o discernimento espiritual, mas, eu acho que você está vendo estas mudanças ou você sabe de coisas que estão surgindo que são muito pragmáticas na vida das pessoas.

BD: Bom, eu descobri que o segredo, na verdade, é corrosivo a alma humana e esse é um dos motivos de eu estar falando de modo franco e tão alto ao longo dos últimos anos.

Notei, entre as massas que eu confrontei nas conferências aqui e ali, um sentido predominante de medo e o segredo teve esse impacto sobre essas pessoas. Elas estavam com medo e não acreditavam que tinham um futuro. Começaram a pensar que não havia futuro, que estávamos todos condenados.

E um dos motivos para vir a esta conferência, e eu pensei muito antes de aceitar o convite, porque eu não gosto mais de viajar. Eu realmente não gosto mais de voar em aviões.

Eu vim aqui, eu acho, para aliviar de uma maneira pequena o segredo que eu observei ser corrosivo para a alma humana e queria dizer as pessoas nesta audiência, em particular... para se encontrarem com algumas pessoas como Alfred, que é um homem que eu tenho respeitado e admirado por muitos anos. Há esperança apesar de toda a escuridão, apesar de todo o medo.

Gostaria de dizer para as pessoas que estão interessadas e ouvindo que há um amanhã. Há um futuro, eles e os filhos e os netos e assim por diante, as gerações ainda por vir, na verdade, terão um futuro que é glorioso. Eles têm que segurar a centelha da crença. Eles têm que se agarrar a essa esperança.

É por isso que eu citei Tolstoi ontem quando eu estava falando, quando ele mencionou que há algo dentro do espírito humano que prevalecerá e resistirá. Há uma centelha que queima no coração do homem que não se apagará, não importa quão escuro o mundo se torne.

Eu tentei da minha pequena forma transmitir isso ao povo. E eu estava tão satisfeito com a resposta que eu tive. Eles vieram até mim, literalmente às centenas. Quer dizer, eu digo isso sem nenhuma intenção negativa, mas eles não me deixaram sozinho!

A idéia de que eu disse algo esperançoso ao contar-lhes que eles têm um amanhã, que têm um futuro, que os filhos e os netos vão para as estrelas... essa é a única coisa a que eles precisam se agarrar. Há um futuro. Há um destino para a raça humana nas estrelas. E é por isso que estou aqui. É por isso que eu vim para acrescentar a minha pequena parte de dois ou três centavos a toda essa coisa.

KC: Bom, também diria que uma outra coisa que você pode dizer a eles é que eles têm o direito de saber.

BD: Ah Deus, eles têm, de fato!

KC: E eu acho que isso acende o fogo que queima dentro deles.

BD: Bom, eu fico furioso. O fogo queimando dentro de mim, entrou em erupção várias vezes, e isso é perigoso. Pela minha própria natureza... quando eu fui um soldado de infantaria por anos e anos e anos, eu não era um homem gentil. Se você me irritasse, me encostasse um pouco na parede, eu tinha a tendência de me tornar um tanto explosivo e, preciso dizer, eu tinha uma tendência a ser um pouco perigoso.

É uma das razões pelas quais as pessoas das Operações Secretas/Negras deixaram-me sozinho. [Kerry ri] Porque eu avisei que... vocês sabem, eu fui seguido em sedans negro por um longo tempo. À noite eu tinha os telefonemas da meia-noite. Tive helicópteros negros sobre a minha casa.

Eu avisei que eu era um veterano de duas guerras. Eu sofria de Síndrome de Estresse Pós-Traumático, e eu não podia ser confiável emocionalmente e, se você me empurrar demais contra a parede, eu era um exímio atirador e eu carregava uma arma. Cuidado, você sabe, você mexe comigo, eu posso acabar acertando num monte de vocês.

E vocês sabem, as limusines pretas pararam de me seguir, os helicópteros negros desapareceram e o telefonema da meia-noite parou. Assim, o aviso, evidentemente, os alertou... não pressione este velho desgraçado, porque ele pode ser perigoso, entendes?

KC: Exceto que você também tinha Chapéus Brancos atrás de você.

BD: Ah, escuta! Deixe-me lhe dizer, querida, eu tenho muitos bons amigos em lugares altos e eu admiti nesta conferência coisas que eu nunca admiti publicamente antes. Eu, na verdade, tenho bons amigos em lugares altos e eu digo isso com senso de humor, porque estes lugares altos...

KC: Eles estão lá em cima e bem em cima.

BD: Eles estão la fora e bem no alto, sim.

HD/AN: É. A conferência... Vocês sabem, nas últimas poucas semanas os, sejam eles o que forem, a parte invisível da coisa toda é... seja isso o que for, é muito poderosa e todo mundo sente isso na conferência. Nas conferências, todos expressam o mesmo sentimento, eu acho, pelo menos, 98 por cento.

BD: Arthur, a raça humana é uma obra em andamento.

HD/AN: É. 

BD: E quem vem fazendo esta experiência? [Aponta para cima]

HD/AN: Quem faz...? Sim, porém, eles também nos deram a liberdade, ao mesmo tempo.

BD: Ah, bom, vocês sabem, nós somos uma espécie de adolescentes. Nós ainda não nos graduamos.

HD/AN: Só precisamos saber que temos que trabalhar como uma família, em vez de brigarmos entre nós.

BD: Nós não somos adultos ainda. Nós somos adolescentes problemáticos quase à beira de nos tornarmos adultos... mas, vamos conseguí-lo.

AW: Agora, só para pegar essa discussão aqui, de segredos e da desconstrução em tornar público os segredos, ontem, aqui na Reunião de Cúpula, o ponto alto da reunião foi quando, depois que Bob falou e revelou uma série de segredos fundamentais, Arthur subiu ao palco de forma espontânea e também revelou uma série de segredos.

HD/AN: Não muitos.

AW: Não, mas eu quero dizer...

KC: Bastante.

AW: Nesse contexto, foi uma revelação saber que nosso sistema solar é habitado e que a Terra faz parte do funcionamento do sistema social. E esse foi o ponto alto da conferência. Literalmente, a consciência da conferência se elevou.

KC: Uma mudança completa.

AW: Sim, e isso foi reconhecido como correto pelas pessoas. As pessoas reconheceram isso. Acho que, vocês mal acabaram de chegar, isso foi reconhecido. Então, se fizermos isso, acabar com o sigilo, acho que será uma função importante para a elevação da consciência e tendo Henry e Bob aparecendo num contexto como este, e revelando segredos que viveram por tantos anos é como um batismo para as pessoas e uma capacitação.

BR: Sim.

AW: Porque os segredos enfraquecem.

KC: É isso mesmo.

HD/AN: Bob foi uma alma chefe para mim, pois apenas falei, momentaneamente, com Bob em particular porque ele estava muito ocupado com todas essas outras pessoas querendo falar com ele e nós temos algumas conexões comuns ao longo do tempo, lugares diferentes onde trabalhamos... na Bélgica e tal, e em outros lugares.

E nós dois temos um histórico no exército, nos alistamos e foi apenas lugares diferentes em tempos diferentes. Mas, você é como... foi uma confirmação para mim, vocês sabem. Eu finalmente encontrei alguém que, vocês sabem, poderia reforçar o meu histórico. E, antes, eu me sentia sozinho, sabem.

BD: Não, não. Você está em boas mãos. Você está em boas mãos. [Ri]

Essa experiência para mim foi... e eu digo isso não com qualquer animosidade, mas esta experiência para mim foi como um católico indo à confissão. [Ri] Vocês sabem, eles dizem que a confissão é boa para a alma.

Bom, falando sem rodeios sobre o segredo e algumas coisas que foram acobertadas por tanto tempo, eu senti uma onda avassaladora de alívio por finalmente vir à público com algumas das coisas que eu descobri serem concretas e verdadeiras. Uma delas é que as instalações subterrâneas profundas fora de Las Vegas, onde este meu amigo, um coronel da Força Aérea, entrou por uma porta em Nevada e em dois minutos, ele estava em Pine Gap, na Austrália.

Agora, esse tipo de segredo, cuja tecnologia permite que isso aconteça, atordoa as pessoas. Quer dizer que nós fizemos isso? Temos isso? Nós podemos fazer coisas como essas? O que eles estão escondendo de nós?

KC: Ok, bom...

HD/AN: Eu não gosto de exibir credenciais nem nada, mas são as minhas credenciais. Dentro deste passaporte que eu roubei do meu trabalho, apenas acontece de ser a... O que vocês o chamam aqui?

KC: Um selo?

HD/AN: É muito simples.

BR: Você pode mostrar para a câmera?

HD AN: Tem um selo aqui que diz: O portador é um membro civil, conforme definido pelo artigo primeiro do Acordo entre a Austrália e as forças dos Estados Unidos, na Austrália, assinado em Camberra, em 09 de maio de 1963. É apenas um dos vistos, sabem, neste passaporte. Essa é para o Japão.

BR: Você poderia mostrar apenas a parte frontal do passaporte para a câmera? É uma capa castanha, passaporte oficial. Não é um passaporte normal.

KC: E nós queremos dizer para a câmera que, realmente, fomos... Não posso dizer que fomos dentro, mas, do lado de fora do lugar de trabalho dessa pessoa, um desses. Eu não vou dizer em que lugar do mundo era, ou qualquer outra coisa, então não se preocupe, Arthur. Mas eu diria que conseguimos confirmação substancial que Arthur é quem diz ser.

BR: Eu diria  confirmação total, tanto quanto somos capazes.

KC: E isso foi extraordinário.

HD/AN: Na verdade, eu tentei... os encorajei, sempre que este lugar estava em um local para onde viajassemos, eu os encorajei a vir e conhecer o pessoal da segurança que eu conhecia pelo nome e eles estavam algo relutantes em fazer isso [ri] naquele momento.

BR: Isso foi quando nós estávamos um pouco mais nervosos do que estamos agora. O que nós fizemos, apenas para registrar... Foi muito divertido. Nós acompanhamos Arthur em um bar onde os funcionários locais deste estabelecimento iriam, à noite, e nós apenas sentamos em um canto e vimos todos os antigos colegas recebê-lo e dizerem: Ei, não o temos visto por algum tempo. E foi muito divertido fazer isso.

KC: É.

BR: Enfim... Estou um pouco preocupado, Bob, pois foste interrompido logo agora, quando você estava contando a estória sobre as duas coisas que você sentiu que te deu uma grande sensação de alívio quando você as divulgou ontem. Uma dessas foi a realidade do stargate, o portal, o wormhole, o quarto de salto, a rede, de tal modo que você poderia num momento estar na Área 51 e no momento seguinte em Pine Gap. O que levou Arthur a mostrar o visto australiano no... Era um visto?

HD/A: Era um visto.

KC: Mais do que isso.

BR: E o segundo pensamento? Por favor, continuem, porque eu quero ouvir isso.

BD: É uma questão de interesse para mim e sempre foi, que uma das maiores instalações da agência de segurança nacional no mundo está em Pine Gap, mas o que a maioria das pessoas não entendem é que o subterrâneo em Pine Gap é uma das maiores instalações extraterrestres no planeta! Nosso pessoal de visão remota têm olhadado aquele lugar por muitos anos.

E o que eu achei extremamente divertido - não que haja muito humor em toda esta coisa maldita - mas, essas instalações na Austrália, em Pine Gap, aparentemente, é um centro de R & R extraterrestre. E as pessoas dizem: O que você quer dizer com R & R? É um termo militar que significa repouso e relaxamento.

E eu pensei, quão óbvio, vocês sabem. Faz sentido. Os alienígenas estão aqui, tendo que lidar com a raça humana, eles precisam de repouso e relaxamento.

BR: Eles necessitam de algum...

BD: Eu lido com a raça humana e eu preciso de repousar e relaxar! Que é o que eu vou fazer quando for para casa amanhã, entendem. Mas, eu achei divertido, de todas as quatro instalações principais do planeta, a Austrália é um centro de R & R para os caras lá de fora.

BR: Arthur, você já esteve lá? Ou você prefere olhar-me com um olhar de aço e não responder?

HD/AN: Bom, vamos falar de outra coisa! [Risos]

KC: Bom, deixe-me dizer que você estava balançando a cabeça, então eu pensei que era...

HD/AN: Eu gostaria de dizer algo - é apenas simples - que pode ser um pouco fora do curso aqui, mas um par de coisas. Uma delas é que nós estamos falando sobre segredos e coisas assim, que muitas coisas são classificadas como "Secreto", ou o que quer que seja, apenas porque você tem um selo lá e você tem que fazer algo com ele. [Kerry ri] Vocês sabem, não é...

BD: Eles exageraram com isso. Eles enlouqueceram.

HD/AN: E eles carimbam tudo e isso fica arquivado e, então, isso tem que ser desclassificado, vocês sabem. É apenas uma rotina carimbar tudo.

BD: A Marinha mantém segredos do Exército. O Exército mantém segredos da Força Aérea. O FBI mantém segredos da CIA e tudo isso levou a 11/09/2001. É onde o segredo leva a catástrofes como essa.

HD/AN: É. E a coisa é, alguém precisa fazer a interface entre todos estes diferentes grupos e tentar ajudá-los a se comunicarem uns com os outros, respeitando os próprios limites.

KC: E você está disposto a concordar comigo que você era uma dessas pessoas que cruzaram algumas dessas linhas?

HD/AN: Sim. Fui.

KC: Entre as várias agências?

HD/AN: Sim. Meus "clientes" eram de todo o espectro.

KC: Que é o por quê você tem o nível de conhecimento total do grande cenário, como o chamamos.

HD/AN: É por isso que sou uma pessoa do grande cenário e sempre uma pessoa geral e não focada em uma área. E eu não pedi por isso, acredite em mim. Simplesmente aconteceu. Vocês sabem, você apenas recebe um telefonema e você só... nada mais do que uma chamada telefônica: Você gostaria de um emprego? "Sim". Certo. "E o que é?" Bom, você só tem que ser paciente e descobrirá. É esse tipo de coisa.

A outra coisa é em alguns níveis; as pessoas estão dizendo que os governos - como os presidentes ou o que seja, ou os líderes do país - devem liberar esses segredos. Mas, eles não tiveram acesso a essa informação. Eles têm a idéia de certas coisas, mas é muito limitado. Começam a ver luzes piscando ou o que seja, como... vocês sabem, e isso é tão longe quanto vão, tanto quanto eu já tive ciente.

BD: Arthur, o incidente envolvendo o presidente Carter há alguns anos atrás, quando o Presidente dos Estados Unidos foi dito pelo diretor da Agência Central de Inteligência: Sr. Presidente, você não tem uma classificação de alta segurança o suficiente para passarmos toda essa informação, senhor, e você não tem necessidade de saber.

Agora, quem era o diretor da Agência Central de Inteligência naquela época? George Herbert Walker Bush, que se tornou presidente - assim, é quão ruim isso se tornou ao longo dos anos. Assim é quão corrosivo o sigilo pode ser, não apenas para a alma humana, mas para o sistema constitucional do governo. É corrosivo como o inferno e isso tem que acabar! E eu sei que vocês concordam comigo.

HD/AN: Sim, a coisa medo tem que acabar e temos que aliviar o medo das pessoas, porque todas estas coisas, a maioria das coisas que vemos na imprensa, apenas foram criadas e planejadas há muito tempo - inimigos fictícios .

Existem inimigos, mas muitos deles são fabricados e alguns deles nem sequer são reais. Ok? E há uma longa lista e eles estão quase no fim da lista deles. Eles estão bem no final da lista agora, no momento, então não há nada mais, não há mais coelhos para tirar da cartola.

KC: Espere um segundo. Eu quero realmente dizer... [para Arthur] qual era o seu nível de segurança? Porque o de Bob Dean era cósmico altamente secreto (Cosmic Top Secret).

HD/AN: Cosmic Top Secret, porque essa é uma classificação da NATO.

BD: É NATO. E há níveis superiores a isso. Existem dois "Q" de segurança acima disso.

KC: Você tinha um "Q".

HD/AN: Meu primeiro foi um "Q" de segurança, com certas letras.

BD: Programas Especiais de Acesso.

HD/AN: Sim, mas era "Q" de segurança e esse foi através do Departamento de Energia, que era de Pesquisa Energética e Agência de Desenvolvimento. Antes disso, era a Comissão de Energia Atômica e eles continuam mudando nomes e você tem que fazer a reimpressão da papelada e tudo mais. Eu não sei por quê.

Mas, sim, era um "Q" de segurança e, então foi para... basicamente, a partir daí, variou. Ele foi para cima e para baixo de Secreto até Top Secret (altamente secreto) durante um período de 30 anos ou mais. E, então, acabou subindo para Top Secret SCI e, em seguida, Top Secret com um monte de letras que eu ainda... Eu não sei. Isso não importa. Mas eles eram... foi basicamente...

KC: Você não está certo se você não pode dizer o que era.

HD/AN: É... Isso não importa. Isso não importa.

KC: Ok.

BR: Eu gostaria de perguntar, porque essa é uma parte do significado de ser um Futuretalk, como se fosse... Compreendo perfeitamente e concordo com vocês quando vocês falam na agenda de ampliar o medo, a fim de tornar as pessoas mais facilmente controláveis. Mas, vamos perguntar a vocês três: Com o que vale a pena estar preocupado e o que é uma distração?

No que devemos nos concentrar como problemas para a raça humana nos próximos anos? E o que é algo que é apenas uma desorientação, como um mágico em um palco, que não deveríamos sequer estar preocupados, mas que eles estão tentando nos levar a pensar dessa maneira? Como vocês podem separar essas coisas para as pessoas? Esta é uma oportunidade muito importante para fazer uma declaração.

BD: Alfred provavelmente está melhor qualificado para responder a isso.

AW: Bom, como uma resposta geral para isso, eu diria que qualquer coisa associada com a economia mundial atual, que é uma economia baseada na manipulação da dialética de inimigos, é uma distração fundamental, de modo que a totalidade da corrida armamentista, a totalidade do equilíbrio estratégico de forças com ameaça de guerra, é uma distração.

BR: Então, não caia na retórica da guerra?

AW: Pois é. E número dois, a área em que estes senhores trabalharam, eu acho, é a vanguarda da consciência humana se deslocando para o próximo nível e isso é...

HD/AN: Eu acho que é você que trabalha na área da consciência humana!

AW: Bom, não, mas o entendimento de que uma presença extraterrestre não é apenas uma abstração, mas, sim, é uma raça humana muito parecida com a nossa...

HD/AN: É uma extensão da nossa família.

AW: É... que vive sob a superfície de Marte, com quem o nosso governo secreto tem contato agora.

E assim nós temos direitos, temos direitos inerentes da mesma maneira, eu acho, sob a lei natural, que invocará isso, que foram expressos na Declaração de Independência dos EUA.

Eles foram expressos na Constituição dos EUA, a Carta Canadense dos Direitos do Homem, na Declaração Universal dos Direitos Humanos, vários documentos em nossa cultura humana terrestre. E isso inclui direitos como cidadãos soberanos do universo. Portanto, se os nossos governos estão agora empenhados em longo prazo... digo essas coisas remontam a pelo menos 20 ou 30 anos. Isso é apenas de pessoas com quem eu conversei.

KC: Tratados foram feitos...

HD/AN: Eu tenho que lembrá-los que os "governos"... não são os presidentes e para baixo, ou a rainha e para baixo. São agências acima deles. Então, você não pode culpar os governos que normalmente chamamos de governos.

AW: Não, não. Claro. Mas, se são ou não supra governos, eles ainda estão sujeitos à lei natural e a lei universal, e eles podem ser chamados perante um tribunal competente sob lei natural para serem julgados por crimes de guerra. Mas, não queremos ir nessa direção. A direção que queremos ir é para que esse mundo secreto se torne transparente e integrado com o nosso mundo, para o qual temos um direito inerente sob a lei natural.

BR: Bob, você tem sua mão levantada. Você quer dizer alguma coisa?

BD: Eu simplesmente peço desculpas, pois eu tenho um compromisso que aceitei para uma entrevista em cerca de cinco minutos e eu quero dizer que sinto muito, mas vou ter que me despedir de vocês personalidades ilustres aqui, por um tempo. Eu tenho que ir. Sinto muito, Kerry.

KC: Ok. Tudo bem. Existe alguma coisa que você queira adizer antes de sair, Bob, sobre o fim do sigilo e o início do que virá a seguir? Porque quando fui pegá-lo hoje, você estava falando a um grupo e você disse que não vai ser nos próximos 12-18 meses, algumas das coisas para que as pessoas precisam se preparar.

BD: É. Bom, o cavalheiro com quem eu falava foi um economista e um banqueiro pequeno e ele está olhando as estatísticas, os dados, e ele está vendo o que está acontecendo nos mercados mundiais e ele está preocupado com o que vê. Ele está convencido de que nós não estamos salvo ainda nesta coisa econômica. Ele me perguntou o que eu sinceramente penso sobre o próximo ano ou tanto do que está vindo?

Eu disse, como eu disse ontem, nós teremos alguns maus momentos. Nós não passamos pelo pior ainda e eu odeio dizer isso, mas é verdade. Nós não passamos pelo pior. Ainda não podemos relaxar.

A única coisa que posso dizer é que no próximo ano e meio, podemos nos preparar para alguns eventos em escala mundial, que em comparação, farão com que o 11/09 seja brincadeira. E isso é triste e trágico. 

Mas, vou deixá-los com isso, devo deixá-los com um note-se, para os telespectadores que estarão vendo isso e como Tolstoi disse: Há aquela centelha que arde no fundo de cada um de nós. Ela não se apagará, não importa quão escuro o mundo se torne

Eu quero deixar isso para as pessoas que verão essa fita: Há um amanhã, o futuro desta espécie é glorioso, está nas estrelas. E devem ter esperança e não medo. Isso é tudo o que posso dizer no fechamento.

KC: Ok. Obrigado, Bob.

BD: Obrigado, querida.

KC: É uma honra, como sempre.

BR: Muito obrigado, Bob.

BD: É sempre um prazer. Leiam o livro deste cavalheiro. [Alfred Webre, Exopolitics: Politics, Government, and Law in the Universe (Exopolítica: Política, Governo, e Direito no Universo)]

KC: Com certeza. Sim. Bom, eu li o seu trabalho. Na verdade, eu li seu livro há muito tempo. Antes da organização da Exopolítica ser criada, este homem teve a visão de algo.

BD: Ele é um verdadeiro visionário.

HD/AN: Sim.

KC: Ah, sim, sem dúvida. Eu não acho que as pessoas sequer percebem isso, que esse homem é um futurista verdadeiro, realmente.

BD: Bom, se alguém pudesse fazer a gentileza...

KC: Ele deveria ser ouvido, desse modo, pois o que ele disse hoje não é muitas vezes compreendido, mas, eu acho que é sempre o tipo de coisa que, anos antes, anos mais tarde, eles vão dizer que ele foi um dos primeiros, se não o primeiro, em determinadas áreas. É um dom. 

BD: Nós precisamos de nossos profetas e videntes. E aqui está um.

KC: É isso mesmo.

HD/AN: Eu sinto que nós precisamos perceber que o resto da nossa família esteve aqui, nos visitando, também um pouco fora do planeta e em outros lugares por lá. Eles estão interessados em assistir e não sobreviveriam por tanto tempo como fizeram se eles não tivessem passado por essa transição que estamos prestes a passar. E assim, vocês têm que perceber que eles são amigos e não o mal, quer dizer criaturas espaciais, como em alguns filmes de ficção científica.

BR: Todos eles? 

HD/AN: Qualquer um que sobreviveu. Geralmente, qualquer um que sobreviveu é digno, quero dizer, a maioria. Caso contrário, eles teriam se destruído por agora. 

BR: É. Você não está dizendo que 100% das raças extraterrestres são amigáveis.

HD/AN: Bom, eles têm uma forma diferente de... eles têm uma maneira diferente. 

KC: Alguns estão a serviço de si mesmo; alguns estão a serviço dos outros. Os a serviço de si, na verdade, significa que eles... o que você está... o que eles estão... porque você não conheceu a todos, certo?

HD/AN: Não, isso é impossível.

KC: Você só foi exposto a alguns. 

HD/AN: É. Quero dizer, você está falando de grupos particulares. Mas, o fato é que, em geral... Quer dizer, havia esse Tipo 0 que foi falado e o Tipo 1? Eles não teriam sobrevivido a essa transição, o Tipo 0 para o Tipo 1, se não tivessem elevado a consciência em algum grau. 

Em geral, esse é o caso. E, então, pode ter havido algumas exceções, mas é uma tal minoria que... [Apenas google "escala Kardashev" para aprender mais sobre a teoria "Tipo 0".] 

KC: Bem, na verdade, o nosso governo, a ligação, geralmente, é com esses serviços para si.

HD/AN: É. Isso mesmo. 

BR: E as forças do mal neste planeta, não estão fazendo tudo por conta própria, certo? Eles não pensam em todas essas coisas por conta própria. 

KC: Nós, na verdade... a humanidade não está fazendo tudo por conta própria. Eles são empurrados e incitados por algumas forças ocultas e seres invisíveis. Pode ser uma diferença filosófica.

HD/AN: É uma diferença filosófica. É isso o que é, sim. 

BR: Ao reconhecer a existência deles, não estou dando-lhes poder. Eu estou só dizendo que temos que dizer a verdade aqui. Existe mal lá fora, no universo. Não pára no Illuminati. 

HD/AN: Bom, há escuridão, mas a escuridão é para mim... eu vejo isso como ignorância ou, em última análise, a ausência de luz. Não é uma força de oposição, em última instância. Há luz e então não há luz, ou há interferência... 

BR: Eu estava falando sobre a funcionalidade aqui. 

KC: Ok. Então, talvez, nós podemos realmente... até você poderia falar, Alfred, o que temos falado um pouco fora da câmera, em termos de existir investigação, no momento, entrando em algumas das relações que estão acontecendo nos bastidores com várias raças. 

AW: Sim. Claro que sim. Só para mantê-lo nos pontos de dados específicos, sabemos o que Arthur disse aqui, que ele já esteve em Marte. Temos também um outro informante muito credível com quem nós falamos, que em 1980, foi a Marte duas vezes.

BR: Este é Andrew Basiago.

AW: Sim, na companhia de um agente da CIA, Courtney Hunt, só para colocar isso no registro, através de uma sala de salto para Marte, uma sala salto de teleportação, de El Segundo, Califórnia, para uma espécie de base tipo abrigo, bem na superfície de Marte e ele andou na superfície de Marte. 

E, que em 1971, na companhia de seu pai, que era um oficial contratado pela CIA, encontrou-se com três astronautas de Marte, que estavam em uma visita de ligação e coordenação na Base da Força Aérea de Curtis Wright. [Esta referência não é clara. Google: Curtis-Wright é um fabricante de aviões de caça a jato. No painel de discussão em Barcelona, ele diz que seria uma base AFB Wright em New Jersey. Não há essa base listada em New Jersey, embora haja uma Base da Força Aérea McGuire em Wrightstown, NJ. Caso contrário, há Wright-Patterson, em Ohio.] 

Então, nós sabemos que de pelo menos 1971, houve um tipo de função de coordenação e de ligação na relação entre os marcianos e o governo americano. 

Bom, pelo que eu li, a civilização marciana é uma civilização ética e positiva. Então, para compensar, a nossa estratégia deve ser, como cidadãos, incentivar uma aliança estratégica entre nossa cultura, nossa Cultura Aberta, e a cultura marciana, e fazer isso imediatamente disponível no mais alto nível, que é um reconhecimento presidencial da existência e relação com a civilização em Marte. 

BR: E esse é um dos princípios fundamentais da Exopolítica.

AW: Exatamente.

KC: É, mas eu gostaria de dizer que você [Arthur] está acenando com a cabeça, então você está reconhecendo alguns dos testemunhos...

HD/AN: Sim. Eu nunca tinha ouvido falar disto até agora, desta pessoa ou qualquer coisa, e é como: Ah! Alguém mais! Vocês sabem?

BR: Mais um... é.

HD/AN: Isso também soa como um tipo muito parecido de trabalho. Muito semelhante.

KC: Mas, eu gostaria de dizer - e eu estou jogando isso aqui - estou familiar, pois eu tive algum contato pessoal com alguns, o que eu conheço como Anunnaki, e que há alguns Anunnaki positivos e há alguns orientados mais negativamente. Vocês sabem, assim como há seres humanos, bons e ruins, vocês sabem, há diferentes Anunnaki. 

E eu tenho que dizer que eles estão interagindo com as pessoas, porque eu tive algum tipo de interação. Eles se deram a conhecer a mim. E eu sei que Bob não está aqui para realmente falar sobre isso, mas, Bob teve uma interação com os Anunnaki, ele falou conosco, e acho que ele os encontrou. 

HD/AN: Bom, os Anunnaki são a exceção de que eu estava falando, onde está... mas, eu realmente não tive tempo nem mesmo para me comunicar, porque é sempre em uma mesa em uma sala e é só... Essa não era minha função, conhecer todos intimamente, vocês sabem.

KC: Certo.

HD/AN: Mas, foi semelhante ao que você [Alfred] estava falando de ligação e coisas assim. 

BR: Mas, a mesa de que você fala, é uma mesa rodeada por humanos não deste planeta, certo?

HD/AN: É. Bom, eles parecem com seres humanos geralmente. Sim. Hum hum. 

KC: E isso, às vezes, aconteceu também em Marte, certo?

HD/AN: Foi onde tudo aconteceu para mim. Para mim. 

KC: Você já encontrou com essas pessoas aqui? Porque, como Bob dizia, ele se encontrou com um cientista que era...

HD/AN: Não. Não aqui.

KC: Entendo. 

BR: Eu só queria aproveitar, antes do final da fita, para dizer que...

HD/AN: Eu sinto muito. Eu cometi um erro. Eu nunca encontrei com eles, quando eu não estava trabalhando? Sim. Mas isso é outra estória, a muito tempo atrás.

BR: Isso é outra estória interessante.

KC: Ah, certo. Ok.

BR: Eu só quero dizer para registro que a pessoa de quem Alfred Webre está falando é Andy Basiago. Nós estivemos em contato com ele por 18 meses. Nós não nos conhecemos pessoalmente, mas eu pessoalmente com ele há 18 meses, por quatro horas initerruptas, que foi uma das conversas mais extraordinária que eu tive na minha vida. Eu tenho tido muitas conversas extraordinárias agora.  falei

KC: A minha durou cerca de duas horas. Eu não poderia aguentar todo esse tempo, para ser honesta. 

BR:Tanto quanto somos capazes de afirmar, e eu só estou falando aqui epistemologicamente, apoiamos plenamente a estória de Andy e a intenção dele de divulgar essa estória para o mundo. Ele só disse uma pequena parte dela até agora. 

O que é realmente interessante é que isso se encaixa plenamente com as experiências pessoais de Artur sobre viagens no tempo e  wormholes, a relação com a atividade em Marte e toda uma complexidade que é muito difícil de se engolir, mas é extremamente importante de se entender. 

Eu só queria acrescentar o nosso próprio apoio a isso. Isso é algo que nós vamos pegar e desenvolver mais tarde, porque está muito além do escopo desta conversa. 

KC: Ok, mas eu tive uma conversa hoje com um de nossos informantes e ele realmente estava falando sobre a quantidade de radiação em Marte e questionando... 

BR: Não, ele não estava. Ele estava falando sobre a radiação do Cinturão de Van Allen. 

KC: Não, ele realmente falou também sobre a radiação em Marte e eu estava perguntando a ele sobre isso e eu disse que as bases estavam no subsolo. Existe radiação em Marte em excesso do que temos, por exemplo, aqui na Terra? 

HD/AN: Por causa do que eu fazia lá, nem me preocupei em pensar nessas coisas. Eu simplesmente fui para lá por uma hora, [ri] soa estranho, uma reunião de uma hora e depois que eu voltava para cá. E assim, para mim, porque a maneira como minha vida tem sido assim sempre, vocês sabem, nada era incomum. Eu nem sequer pensava em coisas como essa, se havia ou não radiação. Essas coisas foram tratadas apenas pela forma como o sistema foi criado lá, ou é criado, ou  será criado. Eu nem mesmo sei qual o período de tempo agora. Isso é outro assunto. 

KC: Bom, você teve reação fisiológica por ter passado por esse processo. não é?

HD/AN: Certo. É. Isso é outra coisa, por causa de algo como fadiga de viagem (jetlag), esse tipo de coisa. Havia o remédio que eu tomava, que eu realmente esqueci quando eu saí, porque tudo aconteceu tão de repente quando eu saí, ele não estava mais disponível. Mas isso é outro assunto. 

BR: Ora, é difícil ser, é... antes, no início desta conversa, Arthur fez uma piada e disse que ele fugiu. Isso não é verdade e eu não quero que seja mal interpretado. Foi depois de um desentendimento no trabalho; basicamente você pediu as contas.

HD/AN: Era uma espécie de... não foi sequer um desentendimento, foi...

BR: Foi um conflito.

HD/AN: Hum... Foi só... Eu fiquei muito cansado, porque as coisas estavam se tornando cada vez mais restritas na minha vida, ao ponto que eu já não podia nem mesmo chamar ou enviar e-mail para os meus amigos e em vez de apenas tentar adequar-me e ir por toda a papelada enorme e essas coisas, esperando, eu decidi, vocês sabem, que eu tomaria a decisão. 

BR: Então, basicamente, foi uma partida relativamente súbita.

HD/AN: Muito repentina. 

BR: Ao invés de ser gradualmente erradicada, isso causou uma parada súbita em sua medicação específica.

HD/AN: O que eu me esqueci, porque eu só... eu, literalmente, deixei tudo para trás em minha casa e fui para outro país. 

BR: Sim. O que estou afirmando aqui é que a medicação que você tomou era uma coisa chamada 'Lorenzil' [Não foi possível esclarecer essa palavra... Óleo de Lorenzo? Usado no tratamento de certas neuropatias. Lorenzol? Utilizado em medicina veterinária.], que, se de repente, você parar... Sinto muito. Os efeitos que o Lorenzil é projetado para melhorar é algo que é chamado de distúrbio transdimensional.

HD/AN: Bem, isso é algo que eu entendo de alguém que eu não conhecia. 

BR: Ok. Esta é uma outra coisa que está além do escopo desta conversa. Tem a ver com uma referência de tempo zero que Peter Moon falou em seu primeiro livro sobre Montauk e assim por diante. Para o corpo é muito confuso quando se está passando por portais de salto, ou salas de salto, ou seja o que for que você deseja chamar essas coisas. Há um certo medicamento que se deve tomar para melhorar isso. Se você parar de repente, então você está em apuros, e esta é uma das coisas que você está enfrentando. 

KC: Certo. E eu acho que, em outro momento, podemos falar de forma mais aprofundada sobre isso. Mas, para os fins desta conversa, nós realmente estamos falando sobre o futuro da humanidade e de nossa interação com, bom, certamente Anunnaki em Marte. 

Mas, temos uma declaração que foi feita, que realmente foi nos dita por Robert Dean e também alguns outros denunciantes, que os Anunnaki estão conduzindo as coisas por trás dos bastidores aqui na Terra. E eu me pergunto se você, Alfred, se referiria a isso.

BR: Ou tente.

AW: Certo. Ora, certamente eu ouvi que existem vários... Ou seja, servem de modelo para como as decisões são tomadas aqui na Terra, existem vários modelos que têm alguma evidência para eles. 

Um dos modelos é um modelo mais drástico do que o modelo Anunnaki. Que, se este é ou não um modelo de verdade ou se é um modelo baseado em desinformação, envolve a existência de uma raça reptiliana na quarta dimensão, que é uma densidade acima da nossa. Eles têm mais controle sobre o tempo e essa densidade esteve por trás do fenômeno das abduções alienígenas. 

Agora, existem pesquisadores, como o Dr. Steven Greer, que acreditam que todos os raptos... a pesquisa de opinião Roper mostra que cerca de dois por cento da população dos EUA, ou seja, cerca de 6 milhões de pessoas, foram raptadas, que é um número significativo de pessoas. 

Existem pesquisadores, como o Dr. Steven Greer, que acreditam que todas as abduções são operações psicológicas e são essencialmente feitas por elementos do governo dos EUA, como guerra psicológica, tanto contra a população humana, como contra a população ética extraterrestre, para estigmatizá-los. 

Seja isso verdade ou não, certamente existem indícios de que ambos, os pequenos seres de aparência cinza e os seres reptilianos, estão envolvidos em sequestros extraterrestres de um número substancial de pessoas, por uma razão muito estranha. E eles tiveram contratos secretos. 

KC: Mas, o aspecto quadridimensional, que é a qualidade dessa interação interdimensional e a verdade desses seres, é um pouco diferente, eu diria, do que aquelas com que nós interagimos em termos de Anunnaki, ao menos em teoria. 

AW: Sim. É, este é um tipo diferente de interação. 

BR: Um segundo. Nós temos que parar. Nós temos um minuto. 

KC: Ok. Então vamos fazer uma espécie de resumo e eu gostaria que você [Alfred] lidasse com isso, se você não se importaria. 

AW: Ok. Bom, primeiro de tudo, eu acho que nós estabelecemos que a liberação do sigilo, sabemos empiricamente de ontem, é um grande evento de conscientização e será a desconstrução do sigilo, nestes grandes ciclos cósmicos, que mediará um futuro humano positivo.

BR: Isso é ótimo.

HD/AN: Um evento natural, quase natural.

AW: É.  

BR: Arthur, Alfred, muito obrigado por nos darem tanto do tempo de vocês a gente. Nós continuaremos essa conversa mais tarde. E nós temos que terminar aqui, porque nós não temos mais fita. E, Kerry, obrigado a você também.

KC: De nada. Muito obrigado. Isto foi divertido, mas um evento esclarecedor que tivemos aqui, e continuaremos essa conversa nos próximos anos, eu tenho certeza.

Clique aqui para a entrevista em vídeo







Suporte o Projeto Avalon - faça uma doação:

Donate

Obrigado por sua ajuda.
Sua generosidade nos permite continuar nosso trabalho.

Bill Ryan

bill@projectavalon.net


unique visits

Google+