Busca

Jack Carter: O que realmente aconteceu

na base áerea  Minot dos E.U.A.

Esta página é uma reformatação da versão original publicada no Projeto Camelot.

O Projeto Camelot foi contatado por um aeronauta da base aérea Minot que forneceu respostas precisas para as perguntas importantes levantadas pelo incidente do 'desaparecimento de bombas nucleares' das bases aéreas  Minot/Barksdale.

O acontecimento não foi um acidente. Abaixo apresentamos um testemunho de Jack Carter, que tem uma considerável experiência em manusear armas nucleares nesta base.


Clique aqui para nossa reimpressão do relatório de Pesquisa Global sobre o incidente das 'bombas nucleares desaparecidasdas' da base Minot/Barksdale.

Nesse artigo importante, o autor, Mahdi Darius Nazemroaya, colocou as seguintes questões:

1. Por que, e com que propósito ostensivo, essas armas nucleares foram levadas para Barksdale?
2. Quanto tempo se passou antes que o erro fosse descoberto?
3. Quantos enganos e erros foram feitos, e quantos precisariam ser feitos, para isso acontecer?
4. Quantos e quais protocolos de segurança foram quebrados?
5. Quantos e quais procedimentos de segurança foram contornados ou ignorados?
6. Quantos outros comandos nucleares e controles não observacionais do procedimento existiam?
7. O que o Congresso está fazendo para melhor fiscalizar o controle e o comando nuclear nos EUA?
8. Como esse incidente se relaciona com as preocupações e a confiabilidade no controle sobre as armas e materias nucleares na Rússia, Paquistão e e em outros lugares?
9. Será que a administração Bush, como algumas reportagens sugerem, tem planos de atacar o Irã com armas nucleares?

Atualização, 24 de novembro: Will Thomas, nestes artigos excelentes aqui, aqui (o segundo é especialmente  importante), e recentemente aqui, (todos em inglês), sugere convincentemente que isso foi um golpe dos militares chineses... Isto é, ordens falsas que apareciam tão reais que a estrutura do comando em Minot foi enganada. Embora inacreditável, parece ser uma hipótese real que explicaria completamente todas as anomalias estranhas no incidente. Mas, leia-o:

  Clique aqio para uma atualização de Jack Carter, lançando dúvidas sobre as informações de Will Thomas (18 de janeiro de 2007 - em ingês)


Um aeronauta da base áerea Minot supriu o Projeto Camelot com respostas detalhadas para essas e outras questões. A informação é de tamanha importância que nos sentimos obrigados a apresentá-la como um relatório complementar indepentende.

O nome que demos a nossa fonte foi, Jack Carter, é um pseudônimo. Ainda não nos encontramos com ele, mas trocamos muitos e-mails. Estamos confiantes que ele é exatamente quem ele diz que é: um aeronauta com grande experiência pessoal em procedimentos de segurança em armas nucleare na base aérea Minot.

Acreditamos que nada que temos reportado aqui é secreto ou constitui qualquer quebra da Segurança Nacional. Nossa fonte é patriótica e responsável e escolhemos não divulgar certas informações que não eram pertinentes a análise do que realmente pode ter acontecido.

  A transcrição do e-mail - essentialmente escrito como revisão - está a seguir. Está levemente editada e abreviada por claridade, omitimos uma série de referências pessoais e identificações características do relatório dele para proteger a identidade dele. Jack nos deu permissão para liberar o seguinte, que foi revisto e aprovado por ele antes da publicação.


Jack Carter

Olá, Bill e Kerry.

Tenho tanto para dizer que não sei por onde começar. Achei o seu site através do site do Projeto Divulgação.

Passei ___ anos na Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), o último ___ foi na base aérea Minot. Tinha considerável experiência com armas nucleares. Posso lhe dizer que não poderia acontecer, de jeito nenhum, uma forma de transportar, carregadar e tirar da base seis W80s (ogivas nucleares de míssel de cruzeiro) sem um número significante de oficiais saberem sobre isso. Falo por experiência própria.

Se você estiver interessado e tiver um tempo disponível, eu estaria disposto a responder quaisquer questões que você tenha e assim por diante.

Projeto Camelot

Muito obrigada pela sua mensagem. É um prazer e uma honra para nós ouvir de você.

Sua confirmação do que aconteceu em Minot do ponto de vista da sua experiênci é muito importante. Gostaríamos de ouvir sobre o que você pensa e/ou conclui de todo esse incidente, com tantos detalhes quanto você se sentir capaz de compartilhar conosco. Tudo será mantido em total sigilo.

Jack Carter

Obrigado pela pronta resposta.

Começarei com um pequeno histórico que você achará interesante. Nasci em __ _____, 19__. Cresci em ______.

Quando estava na escola de liderança _____ algo em torno de 19__, Tive o privilégio de ter uma conversa com _____ que, naquela época, era nosso Comandante na Unidade Administrativa da Força Aérea. Já que eu tinha uma credencial Top Secret (segredo máximo), foi me dito que já tinhamos posto uma plataforma de armas no espaço. Nunca segui isso. Mas, senti que ele me falou a verdade.

Trabalhei como um controdalor de munição em _____. Nós trabalhávamos em uma sala que era trancada e tinha o tamalho de cerca de 4 por 5 metros. Todas as comunicações eram por telefone ou rádio e a exceção era uma pequena janela. Éramos responsáveis pelo acompanhamento de todas as armas nucleares e convencionais da base. Fazíamos isso usando as unidades de parede iluminadas do plexiglás (termoplástico transparente) que cobria quase a sala toda. Os itens eram rastreados em triplicata.

Tive pessoas que foram colocadas na sala de controle dos diferentes aspectos dos processos de controle. Sentia que qualquer um de nós que trabalhava lá, precisava saber tudo que cada equipe fazia, de formas que tivessemos um total conhecimento de todo o processo. Fiz com que cada um do meu grupo passasse algum tempo em cada uma das lojas ou áreas de trabalho, tal que, eles entenderiam o que eles ouviriam no telefone ou no rádio quando houvessem problemas. Vou entrar em alguns detalhes aqui e tentarei não ser morto.

Ainda me preocupo com a segurança nacional e não quero dar qualquer coisa que possa ser usado contra nós. Por favor, entenda que me sentiria melhor se estivesse em frente de você lhe dizendo isso.

Como você deve saber, tudo nas forças armadas recebe um número de série ou de item e era nossa tarefa manter o controle deles. Armas são mantidas dentro da WSA (área de aramazenamento de armas). Cada arma é separada e conferida dessa forma. Também é conferida como um sistema completo de arma. Em outras palavras, a ogiva tem um número o impulsionador tem um outro e assim por diante. Qualquer item associado com uma ogiva é conferido como parte da segurança da nuke (bomba nuclear).

Por exemplo, se uma ogiva foi baixada para manutenção, temos que saber sobre isso. Nós tinhamos que saber onde aquele item estava todo o tempo. Informações diárias são mantidas e eu tinha que preparar o relatório para uma reunião de pessoal. Uma vez me pediram para deixar uma dessas reuniões porque meus números estavam errados, o Comandante sabia disso. Ele não estava contente comigo e tive um sério problema para que ficasse claro que isso nunca mais voltasse a acontecer.

Assim, o que tento dizer é que todos da sala de controle de munição, do técnico de manutenção, à equipe de transporte, à equipe que carrega as armas, ao chefe da tripulação da aeronave, ao piloto e tripulação teriam de saber que eles estavam trabalhando com bombas nucleares ativas. Há procedimentos instalados para se ter certeza que, se acontecer um erro, ele nunca mais volte a acontecer.

Sei disse também, porque trabalhei carregando tanto bombas nucleares ativas qunto inativas em aviões B-52 na base aérea Minot e _____. Agora, sou confrontado com a pergunta, por quê todas essas precauções de segurança foram contornadas? Em primeiro lugar, deve ter havido alguma missão secreta aprovada pelo SAC HQ e isso deve ter sido um evento muito grande para se transportar e carregar aquelas bombas nucleares.

Foi me dito a alguns anos que se eu, alguma vez, visse aviões de ALERTA levantando vôo, significaria que estavamos em guerra. Algo deve ter ido muito errado, se foi uma missão especial secreta. Estou tendo muita dificuldade  em entender todas as mortes associadas com isso. Mesmo quando a informação foi vazada, eles poderiam ter vindo com uma estória qualquer. Algo está muito errado nisso.

Projeto Camelot

Muitíssimo obrigado por sua correspondência extremamente interessante e importante.

Foi me dito a alguns anos que se eu, alguma vez, visse um avião de ALERTA levantando vôo, isso significava que nós estavamos indo à guerra.

....naturalmente está certo, em essência.

No artigo de Pesquisa Global reescrito em http://projectcamelot.org/barksdale.html, (em inglês), você verá que o escritor (Mahdi Nazemroaya) fez estas nove perguntas:

1. Por que, e com que próposito ostensivo, essas armas nucleares sairam de Barksdale?
2. Quanto tempo se passou antes que o erro fosse descoberto?
3. Quantos enganos e erros foram feitos, e quantos precisavam ser feitos, para isso acontecer?
4. Quantos e quais protocolos de segurança foram quebrados?
5. Quantos e quais procedimentos de segurança foram contornados ou ignorados?
6. Quantos outros comandos nucleares e controles não observacionais do procedimento existiam?
7. O que o Congresso está fazendo para melhor fiscalizar o controle e o comando nuclear nos EUA?
8. Como esse incidente se relaciona com as preocupações e a confiabilidade no controle sobre as armas e materias nucleares na Rússia, Paquistão e e em outros lugares?
9. Será que a administração Bush, como algumas reportagens sugerem, tem planos de atacar o Irã com armas nucleares?

Temos mais duas perguntas nossas para você, se podemos, que  que se sobrepõem a estas acima:

10. Se as armas destinadas ao Oriente Médio seriam transportadas da base aérea Minot - armadas, como o entendemos? Que outro propósito pode existir? Embora , isso possa parecer quase impossível, poderia haver um propósito de nos destruir domesticamente?

11. O que você acha que pode ter acontecido em Barksdale? Poderias adivinhar? O que muitas pessoas têm especulado - que um pequeno número de aeronautas, de alguma forma, espalharam a notícia numa tentativa de parar esse processo? Quais são as possibilidades?

Jack Carter

Tenho que olhar isso da perspectiva de um ivestigador treinado. Uma vez, que isso vá a público, vai atrair a atenção e alguém da AFOSI será destacado para o pesquisar. Por isso, sempre há uma chance de que tudo o que eu disser possa ser rastreado para mim. Com isso em mente, tenho que dizer que devemos ser muito cuidadosos com o que é passado ao público. Quero ir a fundo nisso e é importante.

1. Por que e qual o propósito ostensivo dessas bombas nucleares serem tiradas de Barksdale?

Barksdale e Minot são bases aéreas irmás. Os aviões estão sempre indo para Barksdale por alguma razão, muitas das vezes para treinamento.

Vou declarar em confidência que todos os treinamentos são feitos com ogivas. Não haveria nenhuma razão para levar armas ativas para Barksdale. Contudo, há aeronaves colocadas sob a condição de ALERTA completamente prontas para decolarem. Em todos os meus anos na minha posição, não posso jamais me lembrar de ter visto qualquer aeronave em ALERTA, deixar o solo. Elas podem ser levadas para a pista como um exercício, mas, param no exato momento de decolar.

2. Quanto tempo levou para o erro ser descoberto?

Todas as munições são monitoradas na sala de controle. Tudo envolvendo essas armas é rastreado. Todos que tocam nessas bombas nucleares tem uma lista de verificação e existem pessoas da Segurança de Qualidade que observam você para terem certeza que você está fazendo o que você deveria estar fazendo. A política dos dois homens entra em jogo aqui. Nenhuma pessoa jamais estará sozinha com uma arma nuclear. Não posso especular quanto tempo levou para se identificar um erro dessa magnitude, porque não posso, logicamente, ver como ele pode ter acontecido.

A W80 nuclear warhead being handled on the ground

3. Quantos enganos e erreos foram feitos e quantos precisavam ser feitos para isso acontecer?

As ogivas são mantidas separadas dos mísseis. Eles precisam ser unidos. Então, eles têm que ser anexados ao suporte de armas. Depois, eles têm que ser verificados para prontidão operacional. Então, eles são unidos a um reboque de transporte. O reboque de transporte tem que ser autorizado pelo WSA (área de armazenagem de armas) então, ele é levado para a pista e uma equipe de carregamento de armas o carregaria para a aeronave.

O chefe da equipe de carregamento de armas informaria ao chefe da tripulação da aeronave, e o chefe da tripulação da aeronave verificaria para ver se a arma estava inerte ou ativa. O chefe da tripulação da aeronave, então, relataria a tripulação de ar e o membro da tripulação de ar verificaria a condição das armas. A sala de controle de munições era responsável por manter um registro de minuto a minuto, de todos os eventos desde do momento que as armas foram pegas para o transporte até o momento em que elas foram carregadas na aeronave e a aeronave estava pronta para voar.

Além de todo esse procedimento, a sala de controle de munição era responsável por comunicações paralelas com o Controle de Tarefas que acompanha todas as atribuições de trabalho na base.

Cada área de trabalho contém várias equipes de trabalho, assim, vamos dissecar isso e ver o que poderia ter dado errado.

A equipe de transporte as armas (4 ou mais pessoa) teria que ter recebido uma ordem para remover seis ogivas W80 do armazenamento. Elas teriam que ser transportadas para a oficina e unidas a seis ALCMs (Mísseis de Cruzeiro Lançados do Ar) por uma equipe de, no mínimo, 2 ou mais, provavelmente 4.

Um míssil de cruzeiro lançado do ar está sendo carregado.

Em seguida, a equipe de transporte teria que transportar o reboque para a loja das armas e, então, para fora da WSA, para a pista. A WSA é o lugar mais seguro na base e existe procedimentos de apuração que têm de ser feitos em qualquer arma deixando a área (uma equipe de 2, no mínimo, teria que verificar aquele reboque e as armas).

Assim, uma ordem de trabalho dizendo a tripulação para transportar seis ogivas W80 teria de ser emitida do agendador de manutenção. Isso deveria ser relatado ao controle de munições e ao controle da tarefa. A ordem de trabalho para transportar o cavalete e o reboque também teriam de ser emitidas e monitoradas. A ordem de trabalho para o transporte também conteria  todos os números dos itens dos mísseis. Quando o pessoal de transporte (ou manipuladores) chamasse o portão da WSA para dizer o que eles estavam transportando, uma equipe inspecionaria o reboque  e os mísseis para se asegurar que o que eles tinham era o que estava na ordem. (Vi manipuladores pegar um reboque errado e tiveram que voltar porque estava errado e não batia com a ordem de trabalho.)

A quantidade de pessoas que estão envolvidas com isso, nesse momento, já são cerca de 30 pessoas e estou deixando algumas coisas de fora por questões de segurança. No momento em que a aeronave deixasse o solo seriam, provavelmente, 60 pessoas que deveriam ter tido conhecimento de que aquelas bombas nucleares estavam ativas. Também há muitas outras precauções de segurança e todas elas teriam que ser violadas para que esse evento tenha acontecido.

Cada pessoa que trabalha com bombas nucleares passa por uma investigação completa e todos são educados para acreditarem que se você não fizer exatamente o que lhe é dito para fazer, você pode receber um tiro. O uso de força mortal é autorizado. Qualquer um que já tenha sido "levantado pela gola" dirá a você que eles nunca quereriam passar por isso outra vez. Assim, o que estou dizendo é que inconsistências são relatadas imediatamente, porque ninguém quer ser levantado pela gola.

4. Quantos e quais protocolos de segurança foram quebrados?
5. Quantos e quais prodecimentos de segurança foram contornados ou ignorados?
6. Quantos outros comandos nucleares e controles náo observacionais do procedimento haviam?

Como declarei acima, alguém tinha que emitir a ordem de trabalho para unir a ogiva ao míssil. Essa ordem de trabalho teria que ser autorizada por uma série de oficiais no esquadrão de bombas. O comandante da esquadra teria que estar no circuito e acho muito difícil de acreditar que alguém poderia ter sido capaz de contornar todos esses protocolos de segurança que estavam em jogo. Pode ter certeza que muitos foram violados para ter acontecido o que aconteceu.

7. O que o congresso vai fazer para supervisionar melhor o controle e comando nuclear dos Estados Unidos?

Até aonde sabemos, essas bombas nucleares foram carregadas e voaram, será quase impossível se criar medidas corretivas que possam ser implantadas pelos congresso ou qualquer outra agência responsável.

8. Como esse incidente se relaciona às preocupações com a confiabilidade do controle sobre as armas e materiais nucleares na Rússia, Paquistão e algum outro lugar?

Esse incidente é muito complicado. A preocupação aqui é, naturalmente, descobrirmos o máximo que pudermos. As bombas nucleares têm sido os itens melhor salvaguardos na história (exceto os OVNIs), por causa do que elas podem fazer se as colocamos nas mãos das pessoas erradas.

Me sentiria melhor se descobrisse que um complô para contrabandear seis W80s foi inventado e o plano tinha sido interceptado pela inteligência e permitido ocorrer a fim de se achar quem estava por trás dele. Se eu fosse o força aéra, essa era a estória que teria sido liberada. O fato de que os militares estão morrendo em coincidências estranhas parece indicar que algo sinistro está acontecendo aqui.

Quando operações secretas são conduzidas, todos os envolvidos são instruídos sobre o que está acontecendo. Um piloto seria informado que ele estaria carregando bombas nucleares ativas. Essas bombas nucleares foram supostamente unidas, transportadas e carregads na aeronave que, então, voou para a base Barksdale.

Não foi um acidente. Recuso-me a acreditar que foi. Muitas salvaguardas estavam em jogo e mesmo pensar que todos os protocolos de segurança foram capazes de ser contornados pelas pessoas em cada aspecto da operação completa não é viável.

9. A administração Bush tem planos de atacar o Irã, como alguns relatórios sugerem, com armas nucleares?

Mesmo se a administração estivesse pronta para fazer isso, existem melhores meios de o fazer. Não penso que um B-52 ficaria sem ser identificado. E, acredito que se o Irã fosse atacado com bombas nucleares ninguém saberia sobre isso até que acontesse. Vamos apenas dizer que poderia parecer que uma das plantas de energia nuclear do Irã tivesse subitamente explodido. Seria uma justificativa para os condenar aos olhos do mundo. O problema é que temos tropas lá e nós estaríamos intencionalmente os submetendo a danos. Assim, se uma planta explode, nós começaríamos os proceidmentos de evacuação de uma vez.

10. Se as armas fossem destinadas para o Oriente Médio, elas seriam transportadas da base aérea Minot - armadas, como entendemos? Que outro propósito poderia haver? Embora pareça quase inconcebível, poderia haver um propósito para as implantar internamente?

Não. Elas viriam de um outro local. Não me pergunte de onde.

Essas armas são muito destrutivas e detonar uma grande ogiva de muitos megatons em qualquer lugar se estaria pedindo por um inverno nuclear. Apenas uma faria o milagre. A quantidade de precipitação, se detonada na América do Norte, poderia acabar com todo os Estados Unidos. Tudo após isso seria super matança. Destruição Mútua Assegurada. (As W80s, naturalmente, são uma das menores ogivas).

11. O que você pensa que pode ter acontecido na base aérea Barksdale? Estarias disposto a adivinhar? o que muitas pessoas tem especulado - que um pequeno número de bravos aeronautas, de alguma forma, espalharam a notícia numa tentativa de parar o plano? Quais são as possibilidades?

Penso que alguém estava fazendo o que se supunha que eles fizessem. Eles estavam seguindo os procedimento e o trouxeram a atenção do supervisor deles quando eles acharam as bombas nucleares ativas. Alguém vazou essa estória à mídia. Penso que muita gente entrou em pânico quando eles descobriram o que tinha acontecido.

A força aérea poderia ter vindo com "É uma missão classificada" e deixado isso assim, então seria deixado como especulação qual era a missão. O fato de que eles estão chamando isso um acidente não cabe em minha mente treinada pelos militares. O cenário de que um plano bem orquestrada foi permitido se desdobrar a fim de pegar os responsáveis é a única coisa que faria qualquer sentido para mim.

Poderia ver os suicidos que ocorreriam como resultado do medo em que eles teriam sido pegos. Apenas, não posso ver eliminação como um fim para justificar os meios. Mas, então, novamente, uma mensagem pode ter sido enviada para aqueles que estão envolvidos.

Espero que tenha ajudado de alguma forma. Farei o melhor para responder qualquer outra coisa que possa.

Projeto Camelot

Queremos saber se poderíamos lhe pedir um esclarecimento do que parece ser uma resposta levemente oblíqua da questão 10.

Estamos assumindo que você quer dizer por sua resposta na primeira linha que Barksdale não seria o trampolim para o Irã. Lemos isso corretamente? (Não pedimos a você para revelar qual seria o trampolim).

Jack Carter

Me desculpe se minha resposta parece vaga. Não era a intenção.

10. Se as armas fossem destinadas para o Oriente Médio, elas seriam transportadas da base aérea Minot - armadas, como entendemos? Que outro propósito poderia haver? Embora pareca quase inconcebível, poderia haver um propósito para as implantar internamente?

Não acredito que as armas fossem destinadas ao Oriente Médio. Existem outras localizações mais próximas que seriam mais adequadas para tal fim. Após pensar sobre isso a noite passada, percebi que poderia ser uma possibilidade, mas, é improvável. No mundo de hoje, devo dizer que as coisas que costumávamos dizer que poderiam não acontecer, agora caem no reino da ralidade.

Se alguém estava tentando se apossar das mesmas, isso teria de ser uma infiltração de escala grande em ambas as bases aéreas. Quando olhei isso ontem, pensava nesta parte como nosso próprio pessoal por trás disso e não podia entender por quê usaríamos uma dessas.

Aqui vai algo que não tinha considerado. Seria muito embarraçosso para nossa força aérea admitir que o programa estava infiltrado em uma escala muito grande. Seria mais fácil dizer que um erro foi cometido. Se isso aconteceu, então, há uma investigação em andamento sobre isso e está encoberta como um erro. Se esse é o caso, então, começa a fazer sentido.

Quem quer que tenha chegado para essas pessoas que quase foram capazes de retirar isso, teriam que ter usado táticas terroristas para levar as pessoas a fazerem coisas, que elas nunca sequer pensariam em fazer. Se eu for invertigar isso eu começaria a olhar as conexões dos membros das famílias. A pessoa por trás disto pode ter matado algum dos membros da família, para ter êxito em se fazer compreender. Se eu estiver certo sobre isso, então, as medidas já foram tomadas para corrigir isso.
Espero que tenha sido uma resposta melhor...


 

Apresentamos isso para informar melhor os debates públicos sobre esse incidente. Está claro que muitas perguntas permanecem e que há outras respostas possíveis para algumas das perguntas já colocadas.

Saudamos Jack Carter pela coragem e patriotismo dele em vir a frente com as informações acima. Note-se, devidamente, que ele tomou muito cuidado para não revelar qualquer informação diretamente pertinente à Segurança Nacional.

Projeto Camelot, 23 de novembro de 2007


Atualização, 24 de novembro:

Will Thomas, nos artigos excelentes dele aqui e (especialmente importante) aqui, sugere convincentemente que isso foi um hacker militar chinês... isto é, ordens falsas que pareciam tão reais que a estrutura do comando Minot foi enganada. Apesar de incrível, parece ser uma hipótese que explica todas as anomalias muito estranhas no incidente.


  Clique aqui para uma atualização de Jack Carter, lançando dúvidas sobre as reinvidicações de Will Thomas (18 de janeiro de 2007).





Suporte o Projeto Avalon - faça uma doação:

Donate

Obrigado por sua ajuda.
Sua generosidade nos permite continuar nosso trabalho.

Bill Ryan

bill@projectavalon.net


unique visits